Ecclestone quer calendário com 22 GPs para a Fórmula 1

Dirigente negocia com México e Tailândia, mas sonha mesmo é com retorno à África do Sul após mais de 20 anos

A Fórmula 1 viveu em 2012 sua temporada mais longa da história, mas o chefão da categoria, Bernie Ecclestone, não está satisfeito com as 20 provas do calendário: para o dirigente, as equipes conseguiriam lidar com uma programação de até 22 GPs.

A ideia de Ecclestone, no entanto, terá de ser adiada por pelo menos um ano: para 2013, estava prevista a estreia do GP em Nova Jersey, substituindo a corrida de Valência, Espanha. Porém, os norte-americanos sofreram atrasos no projeto e a prova só deve acontecer a partir de 2014. Assim, esta temporada terá 19 corridas.

Porém, Ecclestone quer mais duas provas, além de Nova Jersey, a partir do ano que vem. O GP da Rússia já está previsto, com um circuito sendo construído no complexo do parque olímpico dos Jogos de Inverno, em Sochi. O dirigente negocia ainda com México e Tailândia.

“O que importa é ter as corridas nos lugares certos. As equipes poderiam lidar com um calendário de 22 provas”, afirmou ao City A.M.

Fora as provas com real possibilidade de entrar no calendário, Ecclestone sonha em retornar à África do Sul, cujo último GP ocorreu em 1993. “Se pudesse escolher voltaria à África do Sul. Quero estar na Cidade do Cabo. Já me ofereceram Durban, mas acho que a Cidade do Cabo seria melhor para nós.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias