"Ele é nosso número 1 e quero que ele fique", diz Lauda sobre Brawn

Chefe da Mercedes já avisou que só permanece no time alemão se estiver claro que é ele quem está no comando

Depois de Ross Brawn deixar claro que só fica na Mercedes por mais uma temporada caso permaneça no comando da equipe, o diretor não-executivo do time, Niki Lauda, afirmou que a possibilidade de que o inglês siga no time é de 50%.

A situação interna da Mercedes está indefinida desde que o time passou a contratar uma série de profissionais para ocupar cargos de comando. Além de Niki Lauda, Toto Wolff, que cuida da parte administrativa, e Paddy Lowe, engenheiro assim como Brawn, chegaram no início desta temporada. Desde então, os rumores de que Brawn esteja se desligando do time se proliferaram.

“Acho que precisamos de uma definição clara de quem está no comando e obviamente preciso de motivação para continuar”, reconheceu o atual chefe da equipe à Sky Sports. “A situação atual é bem diferente de 12 meses atrás, quando algumas decisões foram tomadas, e só precisamos achar uma solução satisfatória.”

Segundo Lauda, a Mercedes deixou a decisão para o próprio Brawn. “Depende dele. Diria que [a chance dele ficar] é de 50%”, afirmou ao Daily Mirror. “Tivemos pequenos problemas no passado mas tudo está resolvido. Ele e Paddy se acertaram. Ele é o número 1 e tenho tentado persuadi-lo a ficar. Quero que ele fique. Vamos conversar novamente no final da temporada.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias