Emissões de carbono da Fórmula 1 caem 7% entre 2009 e 2011

Presidente da FOTA, Martin Whitmarsh, espera que os números diminuam ainda mais em 2014, quando novos motores serão introduzidos

A Fórmula 1 reduziu suas emissões de poluentes em 7% entre 2009 e 2011, foi o que revelou um estudo da Associação dos Times de Fórmula 1 (FOTA, em inglês).

A audição realizada pela Trucost confirmou que as emissões reduziram em 24% com os carros da categoria, pelo motivo dos motores serem mais eficientes e por causa de sistemas como o kers, por exemplo. Todavia, viagens e combustível operacional aumentaram em 39% e 26%, respectivamente, tudo por conta de um calendário mais extenso.

O presidente da FOTA Martin Whitmarsh espera que a emissão de poluentes caia ainda mais em 2014, quando novos motores serão introduzidos na categoria.

"Estamos orgulhosos de ter conseguido uma redução significativa nas nossas emissões de carbono em um estágio ainda pequeno de nossa viagem", disse. "Junto com a Trucost nós implementamos robustos sistemas para identificar áreas críticas para reduzir ainda mais no futuro. Continuaremos nosso foco na eficiência de combustível e investigaremos oportunidades de diminuir nossos poluentes utilizando linhas férreas como transporte. Estamos muito satisfeitos que a FIA lançou um programa que destaca o compromisso do esporte em tomar medidas positivas em sustentabilidade", finalizou.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias