Engenheiro garante que F1 2017 não terá bicos "feios"

Tidas como feias pela maior parte dos fãs, frentes polêmicas foram banidas segundo Pat Symonds

Ex-diretor técnico da Williams, Pat Symonds - que ajudou a pensar nas regras de 2017 - acredita que os carros da Fórmula 1 para 2017 serão muito mais atraentes. Esta foi uma das áreas que as equipes foram convidadas prestar mais atenção.

"Eu acho que os carros estão ótimos", disse Symonds ao Motorsport.com depois de acompanhar de perto o desenvolvimento do novo carro da Williams antes de sair do time no final do ano passado.

"Eu disse antes que estava realmente preocupado que eles pudessem parecem muito retrô, mas não. Eles estão muito bonitos.”

"Como com todas essas coisas, poderíamos ter arrumado algumas áreas e feito coisas melhores para melhorar a estética dos carros, mas não é como as coisas horríveis que tivemos em 2012 ou nesses últimos tempos."

Mudança de hierarquia

Chefe da Mercedes, Toto Wolff reconheceu que, enquanto os novos carros parecem mais "espetaculares", as chances de se errar no design são maiores.

"Estou muito animado para ver como os carros novos irão, porque esperamos que eles sejam muito mais rápidos", disse Wolff nesta semana. "Eles parecem espetaculares, e vão ser muito mais físicos para os pilotos.”

"Mas quando há uma mudança como essa no regulamento, dá oportunidades e riscos e nós estabelecemos alvos agressivos para onde pensamos que o carro deve estar e também para o motor. Nós estamos dando tudo para conseguir isso. Mas será que esses alvos serão suficientes ou outras equipes se sairão melhor do que nós? Não sabemos.”

"Mas se há uma mudança de regulamento ou não, é sempre a época do ano em que todos nós estamos muito céticos, onde nos perguntamos se estamos fizemos um trabalho bom mesmo.”

"Sempre foi nossa mentalidade na equipe, não faz nossos dias mais felizes, mas é como funcionamos."

Symonds também considera que as mudanças de regulamentos podem alterar a hierarquia do grid.

"Acredito que há uma boa chance de se alterar isso, o que acho que é algo muito bom. É um reset", disse ele.

"Você entende por que a Mercedes talvez não estivesse tão interessada em qualquer mudança."

Problemas de ultrapassagem

Symonds admite, no entanto, que os níveis de downforce podem tornar mais difícil ultrapassar, o que pode ser um problema após as primeiras corridas.

O tema ultrapassagem não fazia parte das discussões enquanto as regras eram elaboradas.

"O que queriam era fazer dos carros cinco segundos mais rápidos. Nem sequer havia qualquer justificativa para o motivo pelo qual deveríamos fazer isso", disse ele.

Symonds espera que, com a ajuda de Ross Brawn - que será o diretor executivo do esporte - a F1 tenha um planejamento mais coerente no futuro.

"Temos um Grupo de Estratégia, mas eles realmente não entenderam o significado da palavra. Espero que as coisas possam ser pensadas, e além de pensar você possa estar olhando onde a categoria estará nos próximos anos.”

"Eu sempre trabalhei em planos de três anos. Eu reviso esses planos de três anos e não espero até o final deles para começar de novo. Eu olhava para eles no final de seis meses e os estendia por seis meses. Via o que era válido e o que não era mais.”

"Acho que a F1 precisa fazer algo semelhante - cinco anos em vez de três anos por causa da complexidade."

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias