Entenda por que o assoalho da Haas foi considerado ilegal

compartilhar
comentários
Entenda por que o assoalho da Haas foi considerado ilegal
Jonathan Noble
Por: Jonathan Noble
Co-autor: Matt Somerfield
4 de set de 2018 11:01

O Motorsport.com analisa como a Haas se deixou vulnerável a um protesto no GP da Itália

Apesar da complexidade das regras da Fórmula 1 e da intensa batalha entre equipes, é muito raro que ocorram protestos pós-corrida nos dias de hoje.

É por isso que o paddock e os torcedores ficaram surpresos com a bomba depois do GP da Itália, quando a Renault protestou contra o carro Haas por um assoalho ilegal. Acredita-se que seja o primeiro protesto desde que a Lotus (nome anterior da Renault) reclamou do sistema da Mercedes-DRS duplo em 2012.

Uma investigação dos comissários concluiu que o piso da Haas não cumpria os regulamentos, que haviam sido submetidos a um esclarecimento técnico enviado às equipes antes das férias de verão.

Naquela Diretiva Técnica, a FIA considerou que projetos como o de Haas não podiam mais competir, mas o time norte-americano pediu a suspensão da execução até Cingapura enquanto trabalhava nas mudanças.

Mas a FIA alertou a Haas que se não alterasse o carro, arriscaria ter um protesto de um time rival, e a equipe continuou na esperança que não haveria problema.

Então, o que exatamente estava errado com o assoalho?

A Polêmica

O debate sobre a legalidade do piso da Haas é em relação a uma área conhecida como T-Tray ou splitter - a área plana a que a prancha está presa e se estende na frente, sob a área do bico do carro.

Haas F1 Team VF-18

Haas F1 Team VF-18

Photo by: Mark Sutton

As regras da F1 consideram que a área frontal deste divisor precisa ser moldada de uma determinada maneira.

O Artigo 37.1 estabelece que a superfície formada por todas as partes situadas no plano de referência deve: “Ter um raio de 50mm (+/- 2mm) em cada canto frontal quando visto diretamente abaixo do carro, sendo aplicado após a superfície ter sido definida."

A imagem abaixo dos livros de regras da FIA deixa claro onde o raio de 50 mm precisa estar.

Haas F1 Team VF-18, Floor 50mm Radius

Haas F1 Team VF-18, Floor 50mm Radius

Photo by: FIA

É esta área do carro que foi alterada quando a Haas trouxe uma atualização para o GP do Canadá no início deste ano.

Enquanto o piso mantinha o raio legal de 50mm, era o modo como a equipe anexava um novo design de pedestal e o conectava a este divisor, que está no centro do argumento.

Por fazer essas mudanças, a equipe provocou algum debate sobre o que era uma superfície de piso e o que não era. Essa interpretação influenciou se a medida do raio de 50mm poderia ou não ser tomada.

Puxando o anexo para a região onde o raio de 50 mm deve ser colocado em uma área cinza.

As regras são claras de que o raio de 50mm deve ser visto quando observado de baixo: mas tendo o bargeboard anexado mais à frente, o moveu para um local onde pudesse ser interpretado que o raio de 50mm já não era visível.

Como pode ser visto nas fotografias de comparação abaixo, que foram gentilmente fornecidas por Albert Fabrega, as mudanças feitas no carro da Haas no GP do Canadá mostram como as mudanças tornaram muito mais difícil definir onde esse canto externo do piso está.

Haas F1 Team VF-18 , floor & bargeboard

Haas F1 Team VF-18 , floor & bargeboard

Photo by: Albert Fabrega

Embora o tempo de volta beneficiado por tal mudança possa não ter sido dramático, como em todas as áreas de um carro de F1, mesmo um pequeno ganho pode gerar um potencial maior à medida que os projetos evoluem.

Esta área do carro é extremamente sensível, devido à sua proximidade com o solo, se tornando importante para o desenvolvimento. É algo que outras equipes não podem se dar ao luxo de fechar os olhos.

E com a Haas travando em uma luta apertada com a Renault pelo quarto lugar no campeonato de construtores, está claro que o progresso da equipe norte-americana sempre estará sob os holofotes da montadora francesa.

Próxima Fórmula 1 matéria
Williams descarta uso de câmbio da Mercedes em 2019

Previous article

Williams descarta uso de câmbio da Mercedes em 2019

Next article

Ex-presidente da Ferrari critica vaias a Hamilton: "grande erro"

Ex-presidente da Ferrari critica vaias a Hamilton: "grande erro"
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Renault F1 Team , Haas F1 Team
Autor Jonathan Noble
Tipo de matéria Análise