"Entrei na curva e não saí", diz Hamilton, blindado pela McLaren

compartilhar
comentários
Por: Julianne Cerasoli
24 de jun de 2012 12:52

Piloto é instruído para não falar sobre batida com Maldonado e reconhece não ter tido ritmo suficiente para lutar por vitória

Hamilton abandonou sua primeira prova no ano

Lewis Hamilton caiu de primeiro para terceiro no Mundial de Pilotos depois de abandonar o GP da Europa com duas voltas para o final após um toque com o venezuelano Pastor Maldonado, quando os pilotos brigavam pela terceira colocação. Evitando que o inglês desse declarações que poderiam complicar sua vida com os comissários, a McLaren formou uma verdadeira operação de guerra na coletiva após a prova, acompanhada pelo TotalRace.

Hamilton atendeu aos jornalistas com a presença, incomum, do chefe de imprensa da equipe e sob a orientação de responder apenas uma pergunta de cada. Monossilábico, o agora terceiro colocado na tabela evitou falar do acidente.

“Não sei o que aconteceu. Entrei na curva e não saí. Não lembro do que aconteceu, só de estar no muro a uma volta do fim. Você coloca a alma e o coração em algumas coisas e, quando não tem os resultados que sente ter trabalhado para merecer, é duro. Mas a vida é assim.”

Hamilton salientou que, mesmo fora dos pontos, sua situação não é das piores no campeonato.  “Foi um dia ruim, mas as corridas são assim. Isso custa muito, claro. Alguns pilotos que estavam lutando conosco não conseguiram pontuar também, como Sebastian. Não é o fim do mundo, mas torna as coisas mais difíceis.”

Perguntado se poderia ter ganhado a corrida, Hamilton foi enfático. “Não. Estávamos muito longe disso. Meus pneus acabaram. Não sei onde teria terminado, era como se tivesse pneus lisos na traseira. Temos muito trabalho para tentar melhorar o ritmo, porque realmente tivemos dificuldades hoje.”

Em outra corrida apagada, Jenson Button lucrou com a batida do companheiro com Maldonado e foi oitavo. O inglês, que perdeu várias posições na largada e passou a prova lutando no meio do pelotão, acredita que faltou sorte.

“Foi uma corrida muito difícil para ler. Tive uma largada ruim, fiquei preso na curva um e tive de levantar o pé para não bater com Fernando. Não acho que fizemos um trabalho ruim em termos de estratégia e o carro estava melhorando durante a corrida mas, quando o Safety Car entrou, acho que outros tiveram sorte.”

 

Next article
Koba celebra 7º lugar, enquanto Perez aposta em estratégia de prova

Previous article

Koba celebra 7º lugar, enquanto Perez aposta em estratégia de prova

Next article

Massa admite que temeu por sequelas e procurou psicólogo

Massa admite que temeu por sequelas e procurou psicólogo
Load comments