Equipes se preparam para falar sobre regulamento de 2017

Após reunião inconclusiva no última sexta-feira, times deverão se reunir com a Pirelli em Milão para criar diretrizes

As equipes de Fórmula 1 deverão ter novas conversas nesta terça-feira sobre as regras planejadas para 2017 em uma tentativa de terminar com os impasses sobre as mudanças nos carros.

A Pirelli já havia organizado uma reunião informal para terça em Milão, na qual pretende conversar com Bernie Ecclestone, Jean Todt, pilotos e equipes sobre suas filosofias futuras de pneus.

No entanto, o encontro assumiu uma nova importância com os esforços para finalizar as mudanças de 2017 nos carros. O novo regulamento visava tornar os carros até cinco segundos por volta mais rápidos.

Fontes também sugerem que os seis chefes de equipe que compõem o Grupo de Estratégia da F1 deverão também discutir com Todt e Bernie Ecclestone os rumos do campeonato.

Nenhum consenso

Depois de as equipes terem recuado em dezembro da ideia original de ter carros cinco segundos mais rápidos após preocupações de que os pneus da F1 não pudessem lidar com esse salto, não há consenso sobre onde ocorrerão mudanças agora.

Em particular, persistem as diferenças filosóficas sobre a abordagem necessária, especialmente no que diz respeito aos níveis de downforce, que devem ser aumentados.

A reunião de Regulamentos Técnicos em Heathrow na sexta-feira não avançou muito em um consenso de como entregar carros mais rápidos em 2017. A reunião foi protagonizada pela disputa entre os principais chefes de equipe sobre a direção dos regulamentos de 2017.

Com o prazo de 1º março iminente, apenas um apoio unânime permitirá que as regras de 2017 entrem em vigor após esta data.

Fontes revelam que Ecclestone decidiu fazer com que a maior parte das equipes se reúnam em Milão com a Pirelli para o fornecedor tentar criar um consenso.

Ele pediu aos chefes de equipe - incluindo membros do Grupo de Estratégia – que estejam presentes para que a reunião possa tentar estabelecer diretrizes para 2017. Espera-se que alguns pontos em comum possam ser alcançados, o que pode permitir então que uma reunião formal do Grupo de Estratégia em 23 de fevereiro confirme as mudanças.

Pneus em foco

O principal problema é que para andar com alto downforce e obter tempos de volta mais rápidos há um empecilho. A Pirelli confirmou que os pneus teriam que andar em altas pressões para lidar com o alto downforce, o que poderia diminuir a aderência.

O desafio para a Pirelli se torna ainda mais complicado pelo fato de que ela atualmente enfrenta restrições de testes e não pode correr na pista com um pacote que simula adequadamente os níveis de downforce 2017.

"A Pirelli tem criticado o Grupo de Estratégia, dizendo que não poderia fornecer pneus que elevassem o downforce a ponto de os carros irem cinco segundos mais velozes por volta”, disse uma fonte ao Motorsport.com.

"Além disso, mesmo que pudesse, não teríamos como testar os pneus na pista com o alto downforce do carro de 2017. Portanto, temos uma situação de impasse que precisa de uma avaliação do Grupo de Estratégia".

A Pirelli disse na semana passada que estava ansiosa para a reunião de Milão, para saber de equipes e pilotos o que exatamente querem para os pneus de 2017.

A empresa disse em um comunicado: "a reunião será para discutir as diretrizes de desempenho dos pneus para os regulamentos de 2017.”

"A Pirelli vê este encontro como sendo de importância vital, a fim de consolidar ainda mais a estreita colaboração que tem com a FIA, FOM e os pilotos.”

"Dos mais de 250 campeonatos em que a Pirelli participa em todo o mundo, a Fórmula 1 é o maior desafio. Em 2017 os aspectos técnicos se tornarão ainda mais complexos, por isso a Pirelli é ainda mais convencida da necessidade da realização de mais testes em pista."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias