"Era impossível fazer melhor", diz Massa, que prevê briga estratégica

Segundo brasileiro, que ficou na sétima posição neste sábado, Ferrari continua com problemas em ritmo de classificação

Sem novidades. Foi assim que Felipe Massa encarou o sétimo lugar no grid, conquistado neste sábado, no treino classificatório para o GP da Hungria. Para o brasileiro, que foi ouvido pelo TotalRace em Budapeste, a Ferrari continua apresentando um baixo rendimento nas classificações, algo que já se tornou rotina neste ano.

“Não houve nada, nenhum problema. Nosso problema mais sério é o ritmo do nosso carro em classificação, com pneus novos e isto não é uma novidade. Até conseguimos fazer boas voltas, com os dois carros, forçamos bastante, mas não era possível ir melhor”, disse Massa, que viu seu companheiro Fernando Alonso ficar com a quinta posição.

Segundo Massa, o carro perdeu um pouco de rendimento em relação à última prova, na Alemanha. “Lá era possível estar entre os 4 primeiros, e, antes de começar o fim de semana até esperava que fosse parecido. Mas aqui está mais difícil. Forçamos, mas era difícil fazer melhor do que isto. Considerando nosso ritmo em classificação, não é uma novidade”, reforçou o piloto.

Se em classificações, o carro da Ferrari não tem um bom desempenho, na corrida costuma ir melhor. Massa espera que isto se repita amanhã, para recuperar posições. “Amanhã será uma corrida complicada. É uma pista difícil de ultrapassar e está muito quente. Mas vamos ver se conseguimos recuperar posições. Acho que teremos uma briga de estratégias, com equipes optando entre duas e três paradas.
 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Hungria
Pilotos Felipe Massa
Tipo de artigo Últimas notícias