“Era impossível manter a Peraltada”, diz diretor do GP do México

compartilhar
comentários
“Era impossível manter a Peraltada”, diz diretor do GP do México
22 de out de 2015 12:28

Entendendo crítica dos fãs por mudança de traçado, Diretor de Marketing revela que continuar com a antiga curva seria inseguro

Emerson Fittipaldi, Héctor Rebaque, Miguel Angel Mancera Jefe de Gobierno Ciudad de México, Sergio Pérez Sahara Force India, Francisco Maass Director de Turismo de la CD de México, Alejandro Soberón Presidente de CIE y Jo Ramírez
Daniel Ricciardo, Red Bull Racing testa o novo circuito do GP do México
Daniel Ricciardo, Red Bull Racing testa o novo circuito do GP do México
Emerson Fittipaldi, embaixador do GP do México
Alejandro Soberón Director de CIE, Emerson Fittipaldi, Héctor Rebaque,Miguel Angel Mancera Jefe de Gobierno Ciudad de México, Sergio Pérez Sahara Force India, en la Inauguración del Autódromo Hermanos Rodriguez
Daniel Ricciardo, Red Bull Racing testa o novo circuito do GP do México
Daniel Ricciardo, Red Bull Racing testa o novo circuito do GP do México

Os fãs mexicanos estão a apenas uma semana de ver pela primeira vez em 23 anos carros na pista em um final de semana de Fórmula 1. No entanto, uma ausência será sentida por todos: a curva Peraltada.

Uma das mais desafiadoras do antigo calendário da F1, ela infelizmente não pôde continuar no layout do circuito Hermanos Rodriguez por sua natureza perigosa e pelo fato de nada poder ser feito para deixa-la mais segura.

"Essa foi provavelmente uma das coisas mais difíceis de fazer", revela o Diretor de Marketing do GP, Rodrigo Sanchez.

"As pessoas diziam 'não podem mudar, já é uma grande pista'. Fato é que era uma curva surpreendente, mas não havia literalmente nenhuma maneira que nós pudéssemos fazer dar certo, porque você tem um muro que separa a pista de uma rua logo atrás. Fazer hoje em dia um carro de F1 fazer esta curva em alta velocidade é completamente fora de questão.”

"Nós tentamos de tudo, mas não havia nenhuma maneira de fazer isso dar certo. A única alternativa era basicamente trazer o traçado para o estádio de beisebol, o que ficou muito bom.”

"Todo mundo que esteve aqui e é de fora do México ficou espantado em como a pista entra no meio do estádio. E pensando bem, esta pode ser uma das áreas mais emblemáticas da pista. Entendemos tudo, mas acho que trouxemos algo novo e icônico para o esporte."

Os promotores ficaram espantados com as vendas de ingressos para o GP. "Estávamos esperando venda completa com certeza, mas não como aconteceu", disse Sanchez.

"Estávamos ficando sem ingressos em segundos. Olhávamos para o final da página de ingressos, vendo os relatórios das vendas e era como olhar para uma máquina caça-níqueis de Las Vegas. Os números aumentavam e aumentavam sem parar."

A procura foi tão grande que os organizadores tiveram de expandir a capacidade do autódromo, com a inclusão de arquibancadas temporárias. São esperadas por volta de 100 mil pessoas no dia da corrida.

Próxima Fórmula 1 matéria
Após GP da Rússia, Nasr pede volta de F1 “pé embaixo”

Previous article

Após GP da Rússia, Nasr pede volta de F1 “pé embaixo”

Next article

Felipinho Massa "supera" o pai em brincadeira de mini-kart

Felipinho Massa "supera" o pai em brincadeira de mini-kart
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Tipo de matéria Últimas notícias