"Era uma corrida para estar no pódio", reflete Massa após batida

GP número 200 vira pesadelo para piloto brasileiro, que ao menos se anima com grande ritmo de sua Williams

De capacete comemorativo a homenagens dentro da equipe Williams, a festa estava pronta para o GP de número 200 de Felipe Massa. Porém, dentro da pista, a realidade não poderia ter sido mais diferente e o GP em Silverstone se tornou um daqueles que o brasileiro preferiria esquecer em sua carreira. O piloto abandonou ainda na primeira volta após acidente com Kimi Raikkonen.

[publicidade]Tudo começou com um acidente ainda no primeiro treino livre. “É uma sensação totalmente negativa, começando do primeiro treino, quando eu tive um problema e acabei batendo. Na classificação, tivemos um erro de estratégia e ficamos fora de posição com os dois carros”, relembrou ao TotalRace.

“Na largada, tive um problema na embreagem e o carro não saía do lugar. Acabei indo para último. E, depois, tinha conseguido ultrapassar dois carros em duas curvas, mas teve o acidente forte com o Kimi [Raikkonen] e eu estava atrás de uma Caterham, não consegui enxergar. Quando o Kimi bateu, veio na minha direção e eu ainda consegui virar o carro e evitei uma batida forte – poderia ter sido bem pior.”

A decepção de Massa é ainda maior ao ver o grande trabalho feito pelo companheiro Valtteri Bottas, que largou em 14º e chegou em segundo. Para o brasileiro, em condições normais, ele também estaria estourando o champanhe ao final da prova.

“Foi um final de semana negativo com um carro que estava voando. Indo para o grid, falei para o meu engenheiro que o equilíbrio do carro estava bem melhor do que na sexta-feira, mas isso durou cinco curvas. É uma pena porque era uma corrida para estarmos eu e o Valtteri no pódio. O carro estava muito competitivo.”  
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias