Ericsson sente pressão de Leclerc após GP difícil no Canadá

compartilhar
comentários
Ericsson sente pressão de Leclerc após GP difícil no Canadá
Charles Bradley
Por: Charles Bradley
21 de jun de 2018 21:17

Piloto sueco se cobra e diz que precisa classificar melhor para andar junto de companheiro monegasco

Marcus Ericsson, Sauber C37
Marcus Ericsson, Sauber C37
Marcus Ericsson, Sauber
Marcus Ericsson, Sauber C37
Marcus Ericsson, Sauber C37 and Sergio Perez, Force India VJM11
Marcus Ericsson, Sauber on the grid
Marcus Ericsson, Sauber C37
Sergey Sirotkin, Williams FW41, leads Marcus Ericsson, Sauber C37
Sergey Sirotkin, Williams FW41, leads Marcus Ericsson, Sauber C37, and Stoffel Vandoorne, McLaren MCL33

Marcus Ericsson diz que vai seguir uma direção de acerto diferente para o GP da França, depois que seu companheiro de equipe, Charles Leclerc, o bateu novamente no Canadá.

Leclerc registrou seu terceiro top-10 na temporada no Canadá, assim como sua quarta participação consecutiva no Q2.

Leia também:

Ericsson diz que a falta de confiança em seu acerto de qualificação está restringindo seu potencial, e ele quer fazer grandes mudanças em Paul Ricard neste fim de semana.

Quando perguntado se ele sentiu a pressão do desempenho de Leclerc, Ericsson respondeu: "ele fez um trabalho muito bom e eu não fui capaz de fazer o mesmo”.

"É claro que a pressão está aumentando, isso é normal na Fórmula 1, nada de estranho nisso. Mas estou convencido de que posso dar a volta por cima.”

"Eu já tive algumas boas conversas com meus mecânicos sobre o que precisamos fazer. Nós vamos tentar muitas coisas para Paul Ricard. Estamos de mente aberta e vamos tentar coisas diferentes para encontrar uma maneira de eu melhorar.”

"Obviamente o que estamos fazendo é trabalhar muito bem para o Charles, mas eu não pareço realmente encontrar a confiança com o estilo que temos no carro no momento. Então, precisamos ir um pouco diferente para nos classificarmos. Nas corridas eu sou normalmente muito bom.”

"Parece que com os compostos mais macios em uma volta, eu simplesmente não tenho a sensação de que eu precisava ter para tirar o máximo do carro. Então, talvez seja um caso para, na qualificação, ter uma configuração diferente para mim para me deixar confortável, especialmente nas pistas com os compostos mais macios.”

"São coisas que precisamos analisar e entender, para que possamos dar um passo. Essa seria a chave."

Sirotkin "destruiu" a corrida de Montreal

Ericsson terminou em 15º no Canadá, e culpa Sergey Sirotkin, da Williams, por arruinar suas chances de um bom resultado no primeiro stint.

"Parecia que nosso carro era muito bom sozinho, mas é difícil ultrapassar esses carros", disse ele. "Eu realmente estava preso atrás da Williams no começo, o que realmente destruiu minha corrida”.

"Se eu pudesse ter me mantido com o grupo à frente, nossa corrida poderia ter sido muito boa, porque eu poderia controlar meus pneus até o final, ficando mais rápido conforme o combustível descia. Eu realmente acho que poderia ter um bom resultado lá, mas Sirotkin estava muito lento.”

"Mas se você se qualificar mais para frente, então você não ficará preso atrás de carros mais lentos. Para mim, esse é o foco principal. Quando o meio do grid está próximo assim, realmente precisamos encontrar uma maneira de acertar na classificação."

Próxima Fórmula 1 matéria
Sainz: "Meu futuro não depende do acordo Red Bull-Honda"

Previous article

Sainz: "Meu futuro não depende do acordo Red Bull-Honda"

Next article

Atualização de motor da Mercedes deve ser adiada

Atualização de motor da Mercedes deve ser adiada

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Pilotos Marcus Ericsson
Equipes Sauber
Autor Charles Bradley
Tipo de matéria Últimas notícias