Ericsson sente que saiu da F1 depois da temporada "mais forte"

compartilhar
comentários
Ericsson sente que saiu da F1 depois da temporada
Por:
Co-autor: Edd Straw
19 de dez de 2018 11:24

Sueco acredita que está deixando a Fórmula 1 no final de seu ano mais forte na categoria

Marcus Ericsson irá competir na Indy na próxima temporada, depois que a Sauber optou por uma nova dupla com Kimi Raikkonen e Antonio Giovinazzi para 2019.

O sueco citou seu desempenho em classificação como a principal razão pela qual ele foi completamente derrotado pelo companheiro de equipe, Charles Leclerc, durante a temporada.

No entanto, Ericsson disse que sua quinta temporada na F1 "definitivamente foi a mais forte", com o 17º lugar fazendo seu melhor final de campeonato.

"É o ritmo de corrida que foi muito forte este ano", disse Ericsson. "Eu tive algumas corridas realmente fortes.”

"A classificação foi um problema, eu estive longe demais em relação a Charles e isso dificultou eu acompanhar seus pontos.”

"Na administração de pneus, eu sou um dos mais fortes no momento na Fórmula 1. Essa tem sido a minha maior força neste ano."

Os nove pontos de Ericsson de 2018 igualou a sua melhor marca na F1, enquanto ele também garantiu um sexto lugar no grid de largada do GP do Brasil.

Ele teve a infelicidade de não se beneficiar das melhorias no final da temporada, já que os danos no assoalho antes mesmo de o GP do Brasil começar o impediu de tirar o máximo de sua posição no grid, além de abandonar na última corrida em Abu Dhabi.

O chefe da equipe, Frederic Vasseur, disse: "Na última parte da temporada, ele teve sempre o mesmo tempo de volta de Charles.”

"Foi muito útil para Charles também ter alguém como referência, como Marcus.”

"Marcus também tem a vantagem de um feedback técnico muito bom e nos ajudou muito em algumas etapas da temporada para tomar decisões no lado técnico."

Leclerc terminou o ano com três corridas consecutivas no sétimo lugar, somando 39 pontos, o suficiente para ter conquistado para a Sauber o oitavo lugar no campeonato de construtores.

Ericsson disse que se orgulhava do papel que desempenhou ao ajudar a Sauber a passar de uma equipe de fundo de grid para ser um top-10 regular.

"O ano inteiro foi o meu melhor na Fórmula 1, especialmente a melhora desde o início da temporada até o final", disse Ericsson.

"Em Melbourne, começamos abaixo da Williams praticamente, e depois melhoramos muito de forma impressionante a partir de então e me sinto muito parte disso.”

"Charles e eu trabalhamos muito juntos com a equipe para mostrar a direção que queremos seguir, e a equipe obviamente nos ouviu e fez um bom trabalho para melhorar o carro."

Next article
Lutar com Haas e não McLaren surpreendeu a Renault em 2018

Previous article

Lutar com Haas e não McLaren surpreendeu a Renault em 2018

Next article

Red Bull: Com orçamento atual, é impossível que Renault lute com Mercedes e Ferrari

Red Bull: Com orçamento atual, é impossível que Renault lute com Mercedes e Ferrari
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Pilotos Marcus Ericsson
Autor Scott Mitchell