"Esqueceram que eu bati Kimi Raikkonen", reclama Grosjean

Francês lamenta ano de pouca visibilidade na Lotus depois de conquistar pódios nos últimos dois anos

“As coisas não foram fáceis para mim na Fórmula 1. Em 2009 foi tudo muito rápido: eu cheguei e fui embora”, relembra o francês, que substituiu Nelsinho Piquet na Renault em 2009, mas não agradou.

[publicidade] O piloto teria de ser campeão da GP2 em 2011 para ter uma nova chance, na mesma equipe, rebatizada Lotus. “2012 foi o ano em que forcei demais e cometi alguns erros estúpidos. Mas em 2013, depois que resolvemos o problema de mapeamento do Kers, tivemos um final muito bom.”

A evolução ia bem até que o francês se deparou com um ano ruim de sua equipe em 2014, ano em que outros pilotos jovens, como Daniel Ricciardo, na Red Bull, e Valtteri Bottas, na Williams, apareceram bem e acabaram roubando seu espaço.

“As pessoas esqueceram o que eu fui capaz de fazer no final do ano passado, quando estava batendo Kimi e ele estava em boa forma – ele gostava do carro, que combinava muito bem com o estilo dele. Isso mostrou do que eu era capaz.”

A meta de Grosjean, que completa 29 anos em abril, é pegar de volta seu espaço e aparecer bem para as equipes maiores. “Se eu continuar pilotando o melhor que eu puder e bater meu companheiro, então tomara que em 2016 eu esteja em um carro vencedor.”
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias