Estratégia de Webber abre possibilidade para ponteiros

Australiano não marcou tempo no Q3 por problema técnico, mas acabou se dando bem com estratégia na corrida

O quarto lugar de Mark Webber no GP da Hungria levantou uma questão: será que é mais vantajoso ficar de fora da última parte da classificação e focar apenas na corrida?

No caso do australiano, o fato da Red Bull não ter marcado tempo no Q3 foi por problemas no carro. Por outro lado, mesmo largando em décimo, os pneus macios poupados e o fato de pode escolher com qual composto largaria acabaram jogando a favor de Webber.

O piloto largou com médios e adotou uma estratégia inversa em relação aos líderes, obrigados a começar a prova com os frágeis macios. Assim, correu o tempo todo fora do tráfego, ritmo que o ajudou a conquistar a quarta posição.

Mesmo assim, Webber não considera a hipótese de, deliberadamente, ficar sem tempo no Q3 e repetir a dose. “Eu sempre vou preferir ter uma volta no Q3 e tentar largar na frente. Até porque todos os caras que subiram ao pódio largaram com os pneus macios”, lembrou.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Hungria
Pilotos Mark Webber
Tipo de artigo Últimas notícias