"Eu mandei ver do início ao fim", afirma Barrichello

Depois de péssima largada, brasileiro da Williams se concentra em aproveitar a prova e extrair o máximo do equipamento

Rubens Barrichello (Miguel Costa Jr.)

Apesar da 14ª posição em sua corrida em casa, Rubens Barrichello estava sereno. O brasileiro completou sua última prova no momento pela Williams, sem ainda saber como será seu futuro.

A corrida de Barrichello não começou de uma forma boa: seu carro acabou não arrancando bem na largada e, logo de cara, o vice-campeão em 2002 e 2004 perdeu seis posições, caíndo de 12º para 14º.
 
Contudo, o veterano de 39 anos sabia que não conseguiria dar saltos maiores, mesmo se largasse mais à frente: "O carro deu aquela morrida, ficou para trás e não deu o que fazer. Mas deu para curtir. Nem largando em oitavo ou quinto eu marcaria pontos."
 
Com a corrida comprometida, Barrichello tratou de extrair o máximo do equipamento. "Eu mandei ver do início ao fim. Tinha um carro limitado neste ano e disse no rádio para a equipe: 'Obrigado pelo que fizeram neste ano e vamos continuar juntos, pois vale a pena'."
 
"Estava com um acerto semi de chuva, pensando que realmente ela fosse chegar, mas a água passou apenas perto da represa. Quando a gente teve de decidir, e isso acontece até as cinco da tarde de sexta-feira, resolvemos apostar", continua Barrichello, que afirmou ter se divertido.
 
"Toda vez que você acorda, tem de pensar que é possível. A largada foi muito ruim e o ritmo de corrida é aquele que temos. Um carro muito difícil de guiar o ano inteiro, sem aderência e tal. Diverti-me da maneira que pude. Já guiei carros parecidos no passado e outros muito melhores. Então, vamos esperar um carro melhor no ano que vem."
 
Sobre 2012? "Quando tiver novidade, serei o primeiro a sair contando", diz o piloto.
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Brasil
Pilotos Rubens Barrichello
Tipo de artigo Últimas notícias