Ex-pilotos austríacos comemoram volta do país ao calendário da F1

Nick Lauda e Gerhard Berger reconhecem importância da Red Bull no processo que culminou no retorno do GP da Áustria

Longe da F1 nos últimos dez anos, o GP da Áustria volta ao calendário da categoria em 2014, para alegria de dois ex-pilotos austríacos que marcaram as últimas décadas do século passado: Nick Lauda e Gerhard Berger. Para o tricampeão do mundo, que venceu lá uma vez, em 1984, o retorno do país como sede de um GP de F1 “não tem preço”.

“Esta é a melhor coisa que poderia ter acontecido para nós”, afirmou Lauda ao veículo austríaco Kleine Zeitung. “Esta publicidade mundial significa muito para a Áustria. Eu sempre tive esperanças de que a F1 quisesse retornar à Áustria e, se isto agora é uma realidade, é devido a Mateschitz”, disse, se referindo ao dono da Red Bull, Dietrich Mateschitz. “Esta prova significa muito para mim, que já venci aqui”, completou Lauda.

O ex-companheiro de Ayrton Senna na McLaren, Gerhard Berger, foi na mesma linha. “Sempre tive esperanças de que voltaríamos a ter uma corrida aqui e isto não seria possível sem a Red Bull. Agora temos uma estrutura perfeita, com uma equipe austríaca e a pista. Os fãs austríacos esperaram muito tempo por isto”, comentou Berger, que venceu 10 GPs em sua trajetória na F1.

O GP da Áustria esteve presente no calendário da F1 de 1970 a 1987 e depois de 1997 a 2003. O maior vencedor da prova foi Alain Prost, com três vitórias. Emerson Fittipaldi foi o único brasileiro a vencer lá, em 1972. Foi lá também que Rubens Barrichello acabou cedendo a vitória a Michael Schumacher no famoso episódio de 2002.
 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias