Ex-pilotos veem futuro de Maldonado seguro na Williams

Acredita-se que piloto poderia enfrentar dificuldades após a morte do presidente venezuelano Hugo Chávez

A morte do presidente da Venzuela, Hugo Chávez, colocou em dúvida o futuro do piloto do país, Pastor Maldonado. Apoiado pela estatal petrolífera PDVSA, o piloto fazia parte da estratégia do político para dar visibilidade mundial ao país.

Porém, os oposicionistas de Chávez sempre questionaram a validade do contrato com a equipe Williams, pela qual o piloto faz sua terceira temporada em 2013, questionando seu valor para os interesses nacionais.

Com a morte de Chávez, a Venezuela deve passar por novas eleições e uma eventual vitória da oposição poderia prejudicar o futuro de Maldonado na Fórmula 1. Porém, para o ex-piloto Martin Brundle, as performances do piloto justificariam a continuidade do investimento.

“Ele se tornou um heroi nacional após vencer o GP da Espanha ano passado e acho que isso foi bom para a Venezuela e bom para seus patrocinadores, então por que eles iriam fugir?”, questionou Brundle. “Obviamente a política tem seu papel, mas acho que ele mostrou muita velocidade. Além do que a realidade atual da F-1 e da economia global significa que seu cheque o ajuda bastante.”

Outro ex-piloto britânico, Damon Hill, segue a mesma linha, mas reconhece que a carreira do venezuelano estaria sob perigo caso o dinheiro não chegue da Venezuela.

“Não consigo ver como o patrocínio estaria sob risco, e estou certo de que existe um contrato. Acho que Pastor Maldonado mostrou que é um vencedor de GPs e é extremamente rápido, mas hoje em dia, um piloto precisa de habilidade e de algum apoio financeiro.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Pastor Maldonado
Tipo de artigo Últimas notícias