Exclusivo: projeto de "Windscreen Ativo" para F1 é revelado

Enquanto a Fórmula 1 continua a avaliar os planos para o Halo ou o Aeroscreen para proteger a cabeça dos pilotos a partir de 2018, um novo conceito surge; confira as imagens

A Fórmula 1 tem um novo projeto para proteger a cabeça dos pilotos, além do Halo e do Aeroscreen. Revelado com exclusividade pelo Motorsport.com, o Windscreen Ativo tem sido desenvolvido por Enrique Scalabroni, ex-engenheiro de Williams e Ferrari.

O projeto, apresentado no final de semana do GP da Itália para Bernie Ecclestone e para o chefe da Red Bull, Christian Horner, surge em um momento que o Aeroscreen foi colocado em dúvida após testes realizados pela FIA e no qual o Halo também gera indagações - especialmente no caso de extração do piloto do cockpit em caso de acidente.

Para evitar tais problemas, Scalabroni tem trabalhado no Windscreen Ativo, que só atuaria em caso do carro se envolver em um acidente. A ideia surgiu em 2009, ano dos acidentes com Felipe Massa e Henry Surtees. Desde então, o engenheiro tem refinado o design do projeto e agora ele acredita que o sistema está pronto para ser levado ao próximo estágio se for aprovado pela categoria.

Explicando o sistema, Scalabroni disse ao Motorsport.com: "São dois elementos separados - o primeiro é um Windscreen Ativo, o outro é uma cobertura móvel acima da cabeça do piloto. O Windscreen fica localizado na parte superior da dianteira do chassi, logo à frente do piloto, e é feito de material resistente a impactos fortes - sem curvas, para não atrapalhar a visibilidade do piloto", disse.

“Esse Windscreen, que fica 'escondido', levantaria e desviaria detritos graças a sensores instalados no carro", afirmou.

Solução dupla

Enrique Scalabroni active windscreen sketch
Projeto do Windscreen Ativo, de Enrique Scalabroni

Foto: Enrique Scalabroni

Scalabroni destaca que o Windscreen se levantará de duas maneiras: ativação manual pelo piloto ou automaticamente, através dos sensores no carro. "Haverá um botão no volante que permitirá ao piloto acionar o sistema em caso de acidente", disse.

“Mas sensores também serão instalados no carro, que detectarão detritos e criarão uma espécie de cobertura em 3D. É o tipo de tecnologia utilizada na indústria aeroespacial. A proteção será ativada em apenas dois milissegundos e o Windscreen pode retornar à posição original se o piloto se envolver em um acidente sem danos e puder prosseguir na corrida", afirmou

Proteção para a cabeça

Enrique Scalabroni active windscreen sketch
Projeto do Windscreen Ativo, de Enrique Scalabroni

Foto: Enrique Scalabroni

 

A cobertura acima da cabeça do piloto foi desenvolvida para proteger o capacete de detritos que venham de qualquer direção e pode ser retirada manualmente.

“A cobertura se abre para o lado, com um botão simples, que pode ser operado pelo próprio piloto ou pelos comissários", explicou Scalabroni.

“A cobertura se abre e o piloto fica livre para sair ou ser retirado do cockpit como acontece hoje", acrescentou.

Financiamento ainda é uma incógnita

Enrique Scalabroni shows Christian Horner, Red Bull Racing designs for an active head protection system
Enrique Scalabroni mostra projeto do Windscreen Ativo para Christian Horner, chefe da Red Bull

Foto: Vid Voršič

Scalabroni destacou que a ideia precisa de financiamento para seguir em frente - motivo pelo qual ele abordou a FIA. Mais cedo neste ano, o engenheiro abordou Charlie Whiting, diretor de prova da F1, mas Whiting não se mostrou empolgado com o conceito.

“Apresentei o projeto para Charlie Whiting, mas nada aconteceu. Devo deixar este projeto nas mãos da FIA, pois não tenho recursos para fazer os testes. Também pedi ajuda a Christian Horner, que me disse que o projeto parece interessante. Ele, no entanto, afirmou que não colocará dinheiro nisso se a FIA não apoiar o projeto, especialmente após a rejeição do Aeroscreen", completou.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias