Exclusivo: Triste por tragédia, Massa se diz abençoado por estar vivo

35,444 visualizações

Brasileiro que se envolveu em acidente na Hungria em 2009 parecido com o de Justin Wilson, se colocou à disposição para novas soluções de segurança nas corridas

É impossível não assistir ao acidente de Justin Wilson sem imediatamente se lembrar da batida de Felipe Massa na Hungria em 2009. A própria TV norte-americana, durante a transmissão, citou o brasileiro como exemplo de piloto que em alta velocidade choca a cabeça contra a peça que está em seu caminho. A diferença entre os dois episódios é o desfecho - trágico para Wilson e feliz para Massa, que além de sobreviver ao grave acidente retomou a carreira.

LEIA MAIS:
Justin Wilson morre aos 37 anos
FIA fará testes com cockpits fechados

Com voz embargada, o brasileiro concedeu entrevista exclusiva ao Motorsport.com, na qual se mostrou fragilizado pela morte do britânico. Ao mesmo tempo, Massa reforçou seu conceito de gratidão por poder voltar a desempenhar a atividade que tanto ama após seu grave acidente:

"Fico muito triste por ter sido um acidente parecido com o que aconteceu comigo. Agradeço a Deus pela sorte que tive e de poder continuar [a competir]", afirmou.

Confira o acidente de Wilson:

Com a evolução da segurança dos carros de Fórmula 1 nas últimas décadas, a única parte que fica exposta e vulnerável é a cabeça dos pilotos. Os exemplos de mortes mais recentes demonstram isso, como os casos de Jules Bianchi e Justin Wilson.

Os episódios reacenderam a discussão se as categorias de monopostos deveriam adotar um cockpit fechado. "Sou totalmente a favor de se trabalhar em mudanças para a segurança. Não sei se cockpit fechado é a solução, mas algo que possa ajudar na proteção dos pilotos."

"Eu fico à disposição para tentar ajudar nesse aspecto, porque a segurança sempre é fundamental em nosso esporte", completou o piloto da Williams.

O acidente de Massa

Em 2009, Massa competia no Q2 do treino de classificação para o GP da Hungria, quando uma mola do carro de Rubens Barrichello se desprendeu e quicou várias vezes na pista. O brasileiro, então piloto da Ferrari, foi atingido pela mola em alta velocidade e o impacto foi a milímetros de seu olho. O brasileiro ficou internado oito dias no Hospital Militar de Budapeste e teve fraturas no crânio. Massa, felizmente, não teve sequelas e sua visão ficou livre de problemas. O piloto carrega porém uma larga cicatriz acima do olho esquerdo.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Felipe Massa
Tipo de artigo Últimas notícias