F1 deve aumentar limite de combustível para 2017

Medida visa permitir que carros não fiquem presos ao conceito de economia de combustível com mudanças previstas para 2017

Equipes de Fórmula 1 vão discutir na próxima semana a ideia de levantar o limite de combustível para 2017 em uma tentativa de aliviar as preocupações de que os novos regulamentos podem não permitir aos pilotos forçarem ao máximo o carro.

O Grupo de Estratégia e a Comissão da F1 vão se encontrar em Biggin Hill na próxima terça-feira para tomar uma decisão final sobre as mudanças do carro de 2017 que visam reduzir os tempos de volta por até cinco segundos.

Enquanto os regulamentos aerodinâmicos já foram definidos - e apenas uma maioria de votos de última hora será capaz de mudá-los -, outros aspectos ainda precisam ser resolvidos.

Fontes revelaram ao Motorsport.com que, como parte das discussões para finalizar as regras de 2017, um plano foi posto em prática para garantir que a nova geração de carros não tenha um impacto negativo sobre a economia de combustível.

Bagunça da economia de combustível

Os carros e pneus mais largos irão gerar mais resistência do que os atuais - e isso resultará em usar mais combustível gasto por volta.

Houve preocupações manifestadas de que, se o limite de combustível de 100 kg continuasse, então iria forçar os pilotos a realizarem muito mais economia de combustível do que fazem atualmente.

O diretor técnico da Renault, Nick Chester, advertiu em fevereiro que, se o limite de combustível de 100 kg continuasse, haveria problemas.

"Eu acho que vai ser uma bagunça", disse ao Motorsport.com. "Se ficarmos em 100 kg e irmos para os regulamentos de 2017 em seguida, haverá um monte de poupança de combustível, e acho que as pessoas vão começar a reclamar sobre isso."

Enquanto alguns fabricantes queriam que o limite máximo de combustível fosse abolido totalmente, isso não teve apoio unânime - com a Mercedes em particular se mostrando favorável a ideia  de que a F1 deva manter a sua mensagem ambiental.

Ficou entendido que chegaram a um compromisso no qual, caso o acordo para mudanças de regras em 2017 seja assinado, será solicitado à Comissão da F1 votar um plano onde se aumenta o limite de combustível de 5 kg para 105 kg em uma corrida.

Corridas em pleno rendimento

O chefe da Renault F1, Cyril Abiteboul, que estava pressionando fortemente para que o limite de combustível fosse aumentado, há muito tempo considera que é importante Grandes Prêmios em pleno rendimento.

"Eu sou um grande se certificando que a F1 permanece a F1", disse no início deste ano. "Nós não devemos nos inclinar para provas de resistência".

"Uma das coisas que colocou a F1 em perigo, ou poderia ser outra ameaça à F1, é de tentar combinar F1 comprova de resistência. Endurance é sobre a eficiência, a sustentabilidade, a capacidade de correr longas distâncias sem quaisquer problemas".

"F1 é sobre uma pequena corrida, corrida de velocidade, geralmente capaz de atacar constantemente."

Abiteboul disse que parte da negatividade em torno da era híbrida da F1 era que de que muito se fez pela imagem de ser sobre a economia de combustível.

"Francamente, mesmo na era V8, houve alguma gestão de combustível, que era parte das táticas, para otimizar o seu tempo de volta, para a duração da corrida a partir da estratégia".

"Gostaria de remover completamente o limite de combustível, e então nós tiraríamos toda a negatividade da mensagem que temos a partir desta nova tecnologia, que é fantástica".

"Temos feito um trabalho incrível para reduzir o consumo de combustível em 30-40%, mas esta mensagem fantástica é destruída por este limite de combustível - que está fazendo as pessoas acreditarem na verdade que é apenas sobre o gerenciamento de combustível"

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias