F1 promete transmissão repaginada nesta temporada

Liberty Media anuncia conteúdo on demand para o Brasil e diz que cobertura terá novo posicionamento de câmeras e novo grafismo

Segundo o chefe comercial da Fórmula 1, Sean Bratches, a cobertura televisiva da categoria em 2018 apresentará ângulos de câmera novos e um pacote de gráficos muito melhorado.

Embora ainda não tenha havido qualquer anúncio oficial da Liberty Media sobre os planos da F1 para a TV neste ano, Bratches falou o que espera da cobertura de corridas a partir de agora.

Com o ex-presidente da Fox Sports, David Hill, sendo chamado ao final do ano passado para supervisionar uma mudança na forma como a F1 é transmitida, a Liberty acredita que as transmissões terão uma aparência muito diferente para os fãs do esporte.

"Nós revitalizaremos totalmente a forma como a F1 é produzida", disse Bratches quando perguntado pelo Motorsport.com sobre os planos de televisão para 2018.

"Nós vamos fechar as aberturas, nos concentrar intensamente nas corridas e diminuir o posicionamento das câmeras – porque quanto mais baixa a câmera, maior o realismo da velocidade.”

"Também teremos 25 observadores em cada GP se reportando ao controle da corrida dizendo a eles onde as ultrapassagens acontecerão."

"De um ponto de exibição de gráficos, teremos um novo pacote. Vamos coloca-los em um idioma local e também colocaremos MPH em países que usam MPH. Estamos fazendo muito para amplificar a experiência."

Bratches disse que a Liberty está trabalhando com as empresas de televisão para garantir que a cobertura atraia os fãs casuais que assistem a F1 pela primeira vez.

"Nós temos essa ideia fictícia de uma pessoa de 22 anos que não é fã de F1, mas que tem um amigo fanático que lhe pede para assistir uma corrida", explicou Bratches. "Então, quando essa pessoa estiver assistindo, queremos que ela entenda o que está acontecendo”.

"Ross Brawn, que é uma das lendas do esporte, disse que se entrasse em um GP durante sua aposentadoria de três anos, nem saberia o que estava acontecendo. Então, estamos tentando simplificar para ajudar a transmitir o que está acontecendo."

Entende-se que, entre outras ideias que estão sendo analisadas, estão melhorar o som dos motores através de um novo posicionamento de microfones onboard, uso de música nas transmissões e um uso mais regular de melhores momentos para mostrar os destaques da prova.

A Liberty já confirmou que os horários de início das corridas estão sendo transferidos para ajudar as transmissões de televisão, com os GPs europeus agora a partir das 15h10 para ajudar as emissoras que só começam a exibir a categoria na hora da prova.

Planos on demand

Bratches também disse que alguns países terão acesso a um novo serviço de transmissão on demand da F1 que será disponibilizado.

"Vamos lançar na China, EUA, América Latina, Brasil, Alemanha, França e vários outros países nórdicos", disse ele.

"Foi uma proposição muito complicada. Fizemos novos acordos de direitos de mídia neste ano, anteriormente nenhum deles nos permitiria fazer isso. Mas conseguimos chegar a um acordo em muitos dos territórios, e achamos que chegamos a uma situação em que todos ganham."

Bratches também disse que os fãs podem esperar a primeira campanha de marketing adequada do esporte, após Bernie Ecclestone nunca ter visto o benefício de investir dinheiro em algo parecido.

"Teremos nossa primeira campanha de marketing para a F1", afirmou Bratches. "O conceito disso será ’insanidade projetada”.

"Estes dois conceitos polarizados estão surpreendentemente juntos na F1. Vamos construir uma campanha de marketing em torno disso.”

"Também estamos reconstruindo nosso site. Teremos uma nova plataforma eSports. Haverá quatro festivais para fãs neste ano. Estamos melhorando as Fan Zones nos GPs.”

"Acabamos de lançar as Hot Laps (voltas rápidas com pilotos em carros de rua), que serão épicas. Também estamos repaginando totalmente o Paddock Club".

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias