F1 reagirá se mudanças de 2019 não melhorarem corridas

compartilhar
comentários
F1 reagirá se mudanças de 2019 não melhorarem corridas
Por:
14 de dez de 2018 11:30

Chefes da Fórmula 1 dizem que vão reagir e fazer novas mudanças se as novas regras aerodinâmicas não aumentarem o número de ultrapassagens em 2019

Em meio à preocupações com as dificuldades que os pilotos enfrentam nas ultrapassagens com a nova geração de carros da F1, uma série de novos regulamentos serão introduzidos para o próximo ano para ajudar a melhorar a situação.

Asas dianteiras mais largas, asas traseiras revisadas com dutos de freio mais simples são mudanças apontadas para reduzir a sensibilidade aerodinâmica dos carros e assim, eles podem competir melhor um com outro.

O diretor esportivo da F1, Ross Brawn, está ciente de que houve reservas sobre o impacto que as mudanças poderão causar, mas diz que o esporte responderá com ideias mais agressivas se as equipes encontrarem maneiras de contornar as novas limitações.

Leia também:

A postura acontece em meio aos preparativos para a nova F1, de 2021, onde os proprietários do esporte, a Liberty Media, estão convencidos de que querem que o programa seja muito melhor.

"O que aprendemos com este programa aerodinâmico será muito importante para o próximo passo maior, em 2021", disse Brawn em entrevista ao site oficial da F1. “O ponto a enfatizar é que é uma filosofia e uma cultura, não apenas uma solução única.”

“Se não conseguirmos tudo o que queremos alcançar com essas mudanças, aprenderemos com isso, continuaremos com a próxima fase de mudanças e continuaremos fazendo isso até conseguirmos os carros em um momento em que eles possam competir com muito mais eficácia, o que eles não podem no momento.”

"É útil ver se as equipes conseguiram evoluir e tomar direções diferentes, porque não queremos descobrir isso em 2021."

Embora tenha havido ceticismo entre as equipes sobre o quanto a regra ajudará os pilotos a correrem mais de perto, Brawn está convencido de que haverá algumas melhorias.

"Até os carros rodarem, não sabemos quais soluções, mas a partir de previsões, estamos alcançando uma melhora de cerca de 20%", disse ele.

"Então, estamos a um quarto do caminho para onde achamos que poderíamos estar.”

Embora imagens conceituais dos carros de 2021 tenham sido lançadas pela F1 no início deste ano, regras mais firmes ainda não foram acordadas.

Apesar da impaciência das equipes em saber o que precisam se preparar no futuro, Brawn diz que não quer que as regras sejam definidas cedo demais, o que poderia permitir que equipes maiores joguem mais recursos para uma vantagem antecipada.

“A FIA e nós mesmos divulgamos a estrutura de como o carro poderia ser”, acrescentou Brawn. "Não é suficiente para as equipes saírem e começarem a projetar um carro, estamos propositadamente tentando segurar isso.”

"Não queremos que as equipes com muitos recursos passem por quem não tem. Mas é um equilíbrio difícil porque existe um argumento perfeitamente válido de que quanto mais tarde você soltar a informação, mais ela se adequará às equipes com muitos recursos.”

"As equipes terão cerca de um ano para trabalhar nos desenhos desses carros, acho que é a escala certa de tempo. Depois de projetar seus carros em 2020, eles precisam se concentrar em 2021.”

2021 concept rendering

2021 concept rendering

Photo by: FIA

Next article
Ferrari revela data de apresentação de novo carro

Previous article

Ferrari revela data de apresentação de novo carro

Next article

Hamilton domina 51% de era híbrida; Vettel apenas 13%

Hamilton domina 51% de era híbrida; Vettel apenas 13%
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Jonathan Noble