F1 sugere que GP da Grã-Bretanha pode deixar Silverstone

compartilhar
comentários
F1 sugere que GP da Grã-Bretanha pode deixar Silverstone
Scott Mitchell
Por: Scott Mitchell
7 de nov de 2018 18:52

Diretor comercial da Fórmula 1, Sean Bratches, insinuou que o GP da Grã-Bretanha poderia deixar Silverstone para preservar o futuro da corrida

No ano passado, os chefes de Silverstone ativaram uma cláusula de pausa no contrato do GP da Grã-Bretanha, acordada com os antigos proprietários da F1, e o evento de 2019 é o último do acordo atual e não houve progresso na negociação de um novo acordo.

A Liberty Media, proprietária da Fórmula 1 desde o final de 2016, afirmou que deseja preservar corridas históricas como o GP da Grã-Bretanha, mas também anunciou formalmente a intenção de promover uma corrida em Miami e confirmou que o Vietnã entrará no calendário de 2020.

Em uma entrevista divulgada pela F1 antes do GP do Brasil deste fim de semana, Diretor comercial da F1, Sean Bratches, foi perguntado se havia alguma probabilidade de uma corrida histórica como a Inglaterra ou a Itália se mudarem para uma pista de rua.

Leia também:

Bratches respondeu: "Somos uma entidade de 68 anos e a natureza das corridas de GPs é que é dinâmica.”

"Silverstone foi o primeiro GP, mas não corremos em Silverstone em todos esses 68 anos. A corrida também foi realizada em Brands Hatch e outros locais. Nada é imutável neste esporte em termos de onde corremos.”

“Nós valorizamos altamente certas corridas e fazemos o que podemos para preservar as corridas por lá, mas nós somos um negócio.”

"Somos uma empresa pública e temos muitas partes interessadas, acionistas e estamos tentando casar com o que é melhor para os fãs que administram um negócio de sucesso".

O GP da Grã-Bretanha está presente no calendário da F1 desde o primeiro campeonato mundial em 1950.

Silverstone tem sido a casa da corrida desde 1987, tendo se revezado com a Brands Hatch por mais de duas décadas, e é a única pista britânica atual capaz de receber a F1.

No início deste ano o chefe da Red Bull, Christian Horner, afirmou que a Liberty estava interessada em realizar uma corrida em Londres.

Bratches deixou claro que os GPs urbanos têm um grande apelo para a F1 porque coloca a corrida mais perto de grandes populações, e é por isso que a corrida do Vietnã em Hanoi se unirá a Mônaco, Cingapura e Azerbaijão como uma corrida de rua.

Ele acrescentou: “Nós olhamos para isso de três maneiras. Em primeiro lugar, queremos preservar as corridas patrimônio, são muito importantes para a Fórmula 1 e são muito importantes para os fãs da categoria.”

“Eu estou falando sobre os Silverstones, os Spas e os Monzas deste mundo.”

“Então temos um conjunto de corridas de rua e corridas híbridas de rua, onde corremos em parques e nas ruas da cidade, como Melbourne, Montreal e Cidade do México.”

“O terceiro segmento possui instalações construídas para o propósito, como Xangai, Austin, Texas e Bahrein.”

"Além disso, estamos procurando identificar mais corridas de rua, então esta corrida [no Vietnã] é mais um passo em termos de nossa visão."

Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W09, leads Sebastian Vettel, Ferrari SF71H, Kimi Raikkonen, Ferrari SF71H, Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W09, for the formation lap

Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W09, leads Sebastian Vettel, Ferrari SF71H, Kimi Raikkonen, Ferrari SF71H, Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W09, for the formation lap

Photo by: Glenn Dunbar / LAT Images

Next article
No Brasil, Hamilton diz "sentir presença de Senna" em Interlagos

Previous article

No Brasil, Hamilton diz "sentir presença de Senna" em Interlagos

Next article

A F1 precisa se reinventar, diz diretor da Renault

A F1 precisa se reinventar, diz diretor da Renault
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Scott Mitchell
Tipo de matéria Últimas notícias