F1 cria simulador de ultrapassagens para projetar circuitos

compartilhar
comentários
F1 cria simulador de ultrapassagens para projetar circuitos
Scott Mitchell
Por: Scott Mitchell
10 de jan de 2019 19:15

Segundo Pat Symonds, categoria visa deixar corridas mais divertidas no futuro

Os donos da F1 criaram uma série de grupos de trabalho avaliando várias maneiras de melhorar a qualidade das corridas, e uma delas é o Vehicle Performance Group, que opera sob a direção de Pat Symonds, ex-diretor técnico da Williams.

Falando no Autosport International Show, Symonds revelou que o uso de simulação para influenciar o design do circuito é "uma ideia que está voando" e já está sendo usada para impactar o traçado do circuito de Hanoi para a corrida inaugural do Vietnã em 2020.

A ferramenta também está sendo usada para avaliar possíveis mudanças nas pistas já existentes, como em Yas Marina e Abu Dhabi, onde as corridas são tradicionalmente monótonas.

"Produzimos o que acho que seja o primeiro sistema de simulação de ultrapassagens do mundo", afirmou.

"Tem sido extremamente complexo fazer. Executar uma volta leva várias horas.”

"É uma simulação muito, muito complexa, mas tem um modelo adequado dos carros, analisa a pista e as características dos pneus e todo esse tipo de coisa.”

"Agora estamos usando isso para projetar nossos novos circuitos e observar algumas modificações.”

"O Vietnã, que é o primeiro circuito em que tivemos realmente envolvidos, acho que conseguimos entender o que é necessário para fazer boas corridas lá.”

Symonds estava respondendo a uma pergunta sobre a última coluna de Lucas di Grassi. O brasileiro argumentou que mais esforços devam ser feitos para garantir que os projetos de circuitos promovam o uso de diferentes maneiras de entretenimento em vez de seguir uma linha convencional.

Symonds acrescentou: "O que Lucas está dizendo é correto, há muitos aspectos para isso, mas novamente eu tenho que ter ciência por trás disso, temos que ter as evidências.”

"Eu ouvi muitas teorias sobre como fazer carros ultrapassarem. A evidência é que em uma corrida com asfalto molhado, em que você tem menos aderência, você compete muito melhor. Então, estamos colocando a ciência nisso agora."

Next article
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Scott Mitchell