Ferrari critica mudança nos pneus: "Memória curta"

Equipe lembra que Sebastian Vettel venceu duas corridas com quatro paradas em 2011 e, na época, ninguém reclamou

Depois do agora é a vez da Ferrari criticar a mudança no pneus Pirelli a partir do GP do Canadá. A fornecedora italiana decidiu retornar aos padrões de construção do pneu aos usados em 2012 depois que Fernando Alonso venceu o GP da Espanha com quatro paradas.

Ferrari e Lotus são as equipes que melhor se adaptaram aos pneus neste ano, vencendo, juntas, três dos cinco GPs disputado até aqui e estão em segundo e terceiro lugares no campeonato de construtores, respectivamente.

“São momentos difíceis para pessoas com memória ruim. Talvez por causa da quantidade de informação disponível hoje, as pessoas falam muito rápido, esquecendo-se do que aconteceu em um passado recente”, afirmou a equipe por meio da coluna ‘O Sussurro do Cavalo’, usada pelo time para passar seus recados sem atribuir as declarações a algum de seus membros. “Ou talvez as células que controlam sua memória só operem seletivamente, dependendo do resultado obtido por seus donos.”

De forma irônica, a coluna lembrou que equipes que ficaram perto do pódio reclamaram do número de pit stops na Espanha, assim como quem ficou bem longe. “É uma pena que essas mentes tenham ficado quietas há alguns anos quando, no mesmo Circuito da Catalunha e em Istambul, cinco dos seis pilotos que subiram ao pódio fizeram exatamente o mesmo número de pit stops que Alonso e Massa no GP da Espanha do último domingo.”

A citação é às corridas de 2011, ambas vencidas por Sebastian Vettel. A Red Bull, líder de construtores e pilotos, é uma das equipes que criticaram mais veementemente os pneus. Outra lembrança da coluna foi em relação à reação quando Michael Schumacher fez quatro paradas para bater Fernando Alonso no GP da França, há nove anos.

“Não há nada novo sobre vencer uma corrida fazendo tantos pit stops, mesmo descontando quando isso teve a ver com o clima. Lembro bem da reação daquele GP da França, quando o fornecedor de pneus [Bridgestone] mostrou sua alegria em permitir que tirássemos o máximo do carro. Hoje, no entanto, parece que você tem de se sentir quase envergonhado em escolher uma estratégia que, como sempre, visa tirar o máximo do pacote disponível. Por que deveríamos nos envergonhar quando aqueles que fizeram outra opção se arrependeram durante a prova?”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias