Ferrari prefere não se arriscar com Maserati na F1

compartilhar
comentários
Ferrari prefere não se arriscar com Maserati na F1
Franco Nugnes
Por: Franco Nugnes
Traduzido por: Daniel Betting
20 de dez de 2017 11:40

Depois de devolver a Alfa Romeo à Fórmula 1, a Ferrari também quer que a marca do tridente volte para a categoria, embora explicam que a hora ainda não chegou

Sergio Marchionne não esconde que ele gostaria de ver a Maserati na Fórmula 1 depois de fazer Alfa Romeo se juntar a Sauber para 2018. No entanto, no momento é apenas o desejo dele.

"Há um plano, há uma possibilidade, mas está na minha cabeça, não na realidade", reconheceu. "A possibilidade de que a Maserati possa retornar existe, mas primeiro temos que ver como funciona com a Alfa Romeo. Expor as duas marcas do grupo FIAT sem ter entendido as consequências, acho que é algo que não deve ser feito. Não é o momento, vejamos como funciona primeiro com a Alpha".

Haas poderia ser uma opção para a Maserati, mas parece muito improvável por causa das ambições da equipe americana. Maserati poderia ser a arma da Ferrari para a Fórmula E? Marchionne responde: "Devemos entender que neste momento a Fórmula E tem um interesse bastante limitado. Ainda acredito que a máxima expressão dos motores são os híbridos que temos agora na Fórmula 1."

"Não precisamos da Fórmula E para demonstrar a nossa capacidade de combinar o motor térmico com o motor elétrico. Já o fazemos no contexto da Fórmula 1. A Fórmula E, portanto, é um brinquedo separado, inclusive como é gerenciado: mudar o carro durante a corrida é um pouco estranho... ".

O acordo da Alfa Romeo para o seu retorno à Fórmula 1 não é apenas o retorno do "Biscione" como simples patrocinador da Sauber. Para o presidente da Ferrari, é um projeto mais ambicioso, embora seja necessário um pouco de paciência.

"A Alfa está de volta com a Sauber, uma equipe que conhece o compromisso da Ferrari de fornecer unidades de potência. É uma equipe que mantém sua relação com o Cavallino, e será importante ver como essa equipe irá se desenvolver e qual será seu potencial".

Sobre o que se pode esperar dessa união no futuro, ele declarou: "A Sauber é a base do verdadeiro compromisso da Alfa Romeo com a F1, que será tanto mecânica quanto técnica. É claro que o primeiro ano não pode ser feito dessa maneira, então como é normal, precisava dos recursos técnicos da Ferrari".

Próxima Fórmula 1 matéria
Renault estima ganho de quase 1s com motor em 2017

Previous article

Renault estima ganho de quase 1s com motor em 2017

Next article

Wolff: donos da F1 precisam parar de provocar a Ferrari

Wolff: donos da F1 precisam parar de provocar a Ferrari
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Franco Nugnes
Tipo de matéria Últimas notícias