Ferrari quer que Liberty defina planos para futuro da F1

Sergio Marchionne exige clareza dos novos proprietários da categoria sobre como será o esporte após 2020, se quiser se comprometer a comprar uma participação

O Grupo Liberty Media está ansioso para que as atuais equipes comprem ações da F1, porque acredita que com o investimento, haverá um interesse financeiro que vai ajudar a impulsionar o esporte.

Mas o presidente da Ferrari, Sergio Marchionne, disse durante uma teleconferência dos investidores nesta quinta-feira, de que há pouca razão para que as equipes façam isso agora.

Com os acordos comerciais bilaterais da F1 só se estabelecendo até o final de 2020, optar por comprar algo que poderia ser muito diferente em cinco anos não seria a coisa certa a fazer.

"Começamos a analisar a oportunidade agora", disse Marchionne quando perguntado sobre a possibilidade de comprar ações da F1. "Estamos em discussão com o Liberty e recentemente tive uma reunião com a Chase [Carey, CEO da F1]."

"A questão não é apenas o investimento financeiro, é sobre algo que fazemos para ganhar a vida de uma forma muito séria, o acordo atual expira em 2020."

"Então, se tornar um acionista sem direito a voto em uma entidade que efetivamente nos mantém presos, sem o conhecimento do que vai acontecer em 2021, é algo que eu considero imprudente."

"Então uma das coisas que apresentamos ao Chase, e acho que não somos os únicos a apresentar essas preocupações, é a clareza sobre o que vai acontecer após 2020 e o que a Ferrari poderá conseguir a partir de seu envolvimento nas atividades da Fórmula 1."

"Uma vez que temos clareza, então acho que se torna muito mais fácil decidir se queremos participar deste empreendimento."

"Acho que há boas possibilidades na F1, que se bem gerida podem dar recompensas aos investidores. Mas precisamos de clareza e não temos isso ainda."

Dinheiro entre as equipes

Uma das questões que a Ferrari pode enfrentar no futuro é a perda da renda dos direitos comerciais, porque já se falou sobre a ideia de uma distribuição mais igualitária do dinheiro entre as equipes. No momento, a Ferrari recebe pagamentos extras por causa de sua contribuição histórica para a F1.

Marchionne está ciente da possibilidade de mudança, mas sabe que nada pode mudar antes que os acordos bilaterais das equipes terminem.

"Não haverá mudanças nos acordos contratuais até 2020", disse ele. "O tema nem sequer foi levantado, e acho que será bastante imprudente colocá-lo discussão."

Fórmula 1 melhor

A curto prazo, Marchionne acredita que a chegada do Liberty será bom para tornar as corridas ainda mais populares.

Perguntado sobre suas expectativas para 2017, ele disse: "o que eu espero, para ser honesto, é o esporte em si melhor em 2017. E acho que há uma grande base para continuar nosso compromisso com a Fórmula 1."

"Espero que Chase, em particular, tenha uma compreensão muito clara do fato de que o entretenimento precisa voltar entrar em cena."

"Quer dizer, não podemos continuar tendo um esporte com um público cada vez menor por uma série de razões, e por isso precisamos popularizar e torná-lo mais acessível, tudo isso precisa ser feito."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes Ferrari
Tipo de artigo Últimas notícias