Ferrari tem GP solitário com Alonso e muita ação com Raikkonen

Espanhol se resignou com o quarto lugar, enquanto companheiro foi 'alvo' do retardatário Max Chilton

Lento demais para brigar pelo pódio, rápido demais para ser ameaçado por quem vinha atrás, Fernando Alonso teve uma tarde monótona para chegar em quarto lugar no GP de Mônaco.

“Foi um pouco chato porque fiquei sozinho a maior parte do tempo”, reconheceu o piloto da Ferrari ao TotalRace. “Os que iam à frente eram muito velozes e, os que vinham atrás, estavam muito longe. Foi uma corrida de concentração porque a qualquer momento poderia haver um incidente e um Safety Car. Foi como um teste para o carro.”

[publicidade]O espanhol admite que sua Ferrari não tinha condições de estar no pódio. “Acredito que os três que estão no pódio têm todos os méritos para estar lá. A Mercedes mostrou o tempo todo que era muito mais veloz e a Red Bull, quando começou a forçar no final da prova, também demonstrou todo seu potencial. Tivemos de nos conformar com a quarta posição.”

Mas o terceiro colocado no campeonato esperava um resultado bem pior depois de um início de prova complicado. “Foi uma corrida difícil desde a largada. O motor elétrico não funcionou nas duas primeiras retas, cheguei a perder duas posições e estava lado a lado com a McLaren na subida do Cassino. Pela maneira como foi a primeira volta, estou muito satisfeito com o quarto lugar.”

Quem terminou a primeira volta à frente de Alonso foi seu companheiro, Kimi Raikkonen, que vinha em terceiro quando foi acometido por uma série de problemas, chegando fora da zona de pontuação. Primeiro, o finlandês foi acertado por Max Chilton em pleno período de Safety Car e teve um pneu furado. Quando tentava se recuperar, se enganchou com Kevin Magnussen e tocou o bico no guard rail, tendo de fazer uma terceira parada, que o colocou na 12ª posição.

“Foi um dia de azar para mim, uma pena depois de ter tido uma boa largada e ficar em terceiro. O equilíbrio do carro estava bom e o ritmo, também. Infelizmente, durante o Safety Car, fui atingido por Chilton e tive de fazer um pit stop que não estava previsto porque isso danificou meu pneu traseiro direito”, lamentou o finlandês, que acabou recebendo uma reprimenda – sua primeira do ano – pelo incidente com Magnussen no final da prova.
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias