FIA avisa pilotos sobre “tolerância zero” em chicanes de Monza

Entidade máxima do esporte enfatiza que pilotos que levarem vantagem em chicanes serão punidos no GP da Itália

Em uma das pistas em que assegurar que os pilotos andem dentro do limite do circuito é mais complicado, a FIA resolveu diminuir a altura dos “quebra-molas” nas duas primeiras chicanes para este GP da Itália. A entidade pretende com isso prejudicar menos os pilotos que errarem as curvas como até o ano passado.

Porém, apesar de abaixar a altura das zebras pretas e amarelas de plástico, a FIA ressaltou que os pilotos não deverão usar isso para ganhar tempo cortando caminho.

Uma nota enviada aos times diz: "Qualquer piloto que utilizar parte das áreas atrás da segunda perna da primeira e segunda chicanes e obtiver qualquer tipo de vantagem com isso, será imediatamente reportado aos Comissários Desportivos."

As zebras pretas e amarelas foram instaladas na segunda chicane para garantir que os pilotos que errem tenham que tomar um caminho mais longo em torno delas para voltar ao circuito.

Uma linha amarela também foi pintada e uma borda vermelha e branca de isopor foi disposta para indicar que os pilotos deverão ficar à direita antes de voltar para a pista. Pilotos que errarem a primeira chicane foram informados que deverão retornar à pista depois de passar por três fileiras de blocos de isopor. Só poderão usar a grama 'se for claramente inevitável'.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Itália
Pista Monza
Tipo de artigo Últimas notícias