FIA decide levar caso do teste da Mercedes a julgamento

Já no caso da Ferrari, que também fez um teste para a Pirelli, mas com carro de 2011, a entidade não viu quebra de regulamento

A FIA confirmou que vai levar o caso do teste da Mercedes para a Pirelli ao Tribunal Internacional. Já em relação à Ferrari, que também fez uma sessão a pedido da fornecedora de pneus, mas com o carro de 2011, a entidade decidiu não tomar qualquer providência, pois entendeu que “não houve nenhuma quebra de regulamento”.

A Mercedes realizou um teste depois do GP de Barcelona usando os pilotos titulares e o carro de 2013, o que não é permitido pelas regras. A alegação da Pirelli, de que um contrato firmado com a FIA permitia a realização da sessão, não foi aceita para justificar o uso de um carro atual. “O inquérito mostrou que as condições deste teste podem ter constituído em uma brecha no regulamento da FIA”, afirmou a entidade por meio de comunicado oficial.

Nas próximas semanas, os juízes do caso vão determinar os prazos para acusação e defesa apresentarem seus argumentos. O julgamento deve ocorrer apenas em julho.

Entenda como funciona o Tribunal Internacional

Este será o primeiro grande teste do chamado IT, criado em 2010 para renovar o sistema judiciário da FIA. Questões como os escândalos de espionagem da McLaren e de manipulação de resultados da Renault, por exemplo, foram julgados pelo Conselho Mundial.

Atualmente, o presidente do IT é o britânico Edwin Glasgow, especializado em questões comerciais e com mais de 40 anos de experiência no Direito em diversos segmentos, e o monegasco Laurent Anselmi, responsável pelas questões legais do Principado, é o vice-presidente. O IT é formado por um painel de 12 pessoas sem qualquer ligação com a FIA.

Após a decisão de hoje da FIA, agora cabe ao presidente do IT eleger um painel de pelo menos três pessoas, sendo que nenhuma delas poderá ser da mesma nacionalidade de quaisquer das partes julgadas. Acusação e defesa apresentarão suas justificativas por escrito antes de uma audiência, que deve ser aberta para a mídia.

De acordo com o estatuto da FIA, a defesa terá pelo menos 15 dias para apresentar seus argumentos e a acusação, mais 15. A audiência só aconteceria 15 dias depois, ou seja, é provável que não haja nenhum julgamento até meados de julho.

Punições

As equipes Red Bull e Ferrari, que buscam a clarificação do caso junto à FIA, sugerem que todos os demais times tenham direito a fazer testes de 1000km com os carros atuais. Porém, um acordo do tipo não entra nas regras definidas pela entidade para os julgamentos do IT.

As punições previstas são, em ordem de severidade: reprimenda, multa, obrigação a fazer algum trabalho de interesse público, punição por tempo, exclusão, suspensão ou desqualificação. No caso específico da F-1, também pode-se tirar todos os pontos da equipe.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias