FIA duvida que Pérez tenha batido em Sirotkin de propósito

compartilhar
comentários
FIA duvida que Pérez tenha batido em Sirotkin de propósito
Jonathan Noble
Por: Jonathan Noble
17 de set de 2018 12:27

O diretor de provas da F1, Charlie Whiting, acha “difícil de acreditar” que Sergio Pérez bateu em Sergey Sirotkin de forma proposital durante a intensa batalha dos dois no GP de Singapura.

Pérez e Sirotkin se estranharam no circuito de Marina Bay após o mexicano puxar seu carro para a esquerda e atingir o rival da Williams, sendo que ele já vinha mostrando frustrações por ter sido segurado pelo russo.

O acidente rendeu a Pérez um drive-through, mesmo que alguns sugerissem que um choque desnecessário como aquele merecia uma punição ainda mais dura, como uma bandeira preta (desclassificação imediata).

No entanto, Whiting não acha que o feito de Pérez tenha sido tão ruim, já que duvida que um piloto seria estúpido o suficiente para atingir um rival em velocidade de corrida.

“Não falei com ele, nem os comissários falaram até onde sei”, disse Whiting. “Mas é difícil acreditar que um piloto teria a intenção de atingir um outro carro.”

“Ele vinha tentando muito passar Sirotkin e parecia um pouco frustrado, e acho que ele avaliou mal o quão à frente ele estava.”

“Você vê o quão próximos eles competiram nas curvas 14-15-16-17, e acho que ele simplesmente avaliou mal.”

Por várias voltas antes da colisão, Pérez se queixou no rádio de que Sirotkin estava descumprindo as regras por se mover durante as freadas – mas isso é algo que não foi visto por Whiting.

“Ele [Pérez] reclamou sobre isso acontecendo na curva 7 e na curva 14, e não vimos nada que causasse problema. Ele depois reclamou de novo, e analisamos de novo, e francamente ele não estava próximo o suficiente.”

“Sergey talvez estava apenas sendo cauteloso indo à curva 14, mas, como eles estavam se aproximando da curva, ele moveu levemente para a esquerda. Não era como se Sergio estivesse realmente próximo. Ele estava atrás por uma boa distância.”

“Apenas disse a eles que ele teria de estar muito mais próximo para começarmos a olhar exatamente o que acontecia nas freadas, porque não foi um problema para nós.”

Memórias de Baku

A batida de Pérez em Sirotkin lembrou muita gente do que fez Sebastian Vettel a Lewis Hamilton atrás do safety car no GP do Azerbaijão de 2017.

No entanto, Whiting considera que ambos os acidentes foram diferentes, já que as ações de Vettel aconteceram em uma velocidade muito mais baixa.

“Havia o safety car em Baku. Você pode dizer que, não que fosse seguro, mas que era menos provável causar um acidente do que quando em velocidade de corrida.”

“Mas essa é uma decisão que os comissários tomaram, e presumo que eles levaram isso em consideração.”

Próxima Fórmula 1 matéria
Hamilton diz ter “orgulho” de não errar como Vettel

Previous article

Hamilton diz ter “orgulho” de não errar como Vettel

Next article

Vandoorne foca em se divertir na reta final de 2018

Vandoorne foca em se divertir na reta final de 2018
Load comments