FIA: Fãs não precisam ver capacetes para distinguir pilotos

Diretor de provas da Fórmula 1 defende halo e acredita que números maiores e câmeras coloridas sejam o suficiente para identificar pilotos

O diretor de provas da Fórmula 1, Charlie Whiting, diz não estar preocupado com o fato de que com o halo os fãs não consigam identificar quem são os pilotos olhando para seus capacetes.

Ele ressaltou que já existem outras maneiras de identificar os pilotos nos carros.

"Eu, em primeiro lugar, sempre senti que era muito mais fácil olhar a cor das câmeras onboard para tentar identificar um piloto", disse Whiting.

“Os capacetes de Max Verstappen e Daniel Ricciardo, por exemplo, não parecem muito diferentes.”

Desde o GP da Espanha no ano passado as equipes foram obrigadas a exibir os números de cada piloto com mais destaque para ajudar na identificação.

"No ano passado, foi muito mais fácil com esses carros, porque os números se tornaram muito mais proeminentes, o que não acontecia antes. Eu acho que você vai concordar que realmente funcionou muito bem."

"Garantimos que os números dos carros estivessem exatamente nos mesmos lugares. E as câmeras serão pretas para o primeiro carro e amarelas para o segundo carro. Estou bastante convencido de que os fãs não precisarão recorrer às cores dos capacetes dos pilotos para saber quem está no carro.”

Presidente da FIA, Jean Todt também propôs usar o halo como um meio de identificar qual piloto está liderando o campeonato mundial, pintando-o de amarelo, de maneira semelhante à camisa amarela usada pelo líder no Tour de France. No entanto, essa ideia não foi adotada, como Whiting explicou.

"Foi tudo muito bem até que a Renault disse que queria seu halo amarelo", disse ele.

No entanto, a Renault acabou adotando posteriormente um halo preto em seu novo carro.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias