FIA muda checagem de pneus após polêmica com Massa

A partir de agora, engenheiro da equipe acompanhará medição e poderá optar por uma largada dos boxes em caso de irregularidade

A Federação Internacional de Automobilismo (FIA ) mudou os procedimentos para medir a temperatura dos pneus após a exclusão de Felipe Massa no GP do Brasil. O brasileiro perdeu o oitavo lugar no grid pelo teste ter acusado temperatura de 137° C, quando o máximo permitido é 110° C .

O movimento segue uma investigação interna da Williams sobre os pneus de Massa, cujos resultados foram compartilhados com a FIA por Pat Symonds, diretor técnico da equipe.

Uma das questões-chave para a Williams foi a de que nenhum funcionário do alto escalão estava ciente de que o pneu traseiro direito de Massa tinha sido verificado no grid pelo delegado técnico da FIA, Jo Bauer, e seu assistente Kris de Groot. A equipe não sabia de qualquer discrepância até uma mensagem oficial vinda da FIA em algum momento da corrida.

A partir de agora, qualquer verificação de pneu terá que ser testemunhado pelo engenheiro do carro, que assim prontamente será informado de qualquer problema.

Isso é semelhante à maneira como são realizadas as verificações de peso do carro, quando os membros da equipe podem observar e registrar quaisquer valores.

A mudança resolverá outra questão fundamental - a anomalia que permite à FIA registrar que um carro é "inseguro" antes do início e ainda assim o carro ter permissão para iniciar a corrida.

Agora, se os registros da FIA apontarem para números ilegais, a equipe ainda terá a opção de levar o carro para fora do grid, mudar os pneus e começar a partir do pitlane.

O piloto vai, assim, dirigir-se para a corrida com um carro legal e, portanto, não estará perdendo seu tempo correndo sob a ameaça de uma exclusão.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento Abu Dhabi GP
Pista Yas Marina Circuit
Tipo de artigo Últimas notícias