FIA ratifica volta do antigo formato de classificação da F1

Apesar de acordo entre equipes, Ecclestone e Todt na última semana, faltava o aval do Conselho Mundial de Automobilismo da FIA, garantido nesta segunda-feira

O retorno da Fórmula 1 para o antigo formato do treino classificatório foi ratificado pelo Conselho Mundial de Automobilismo da FIA nesta segunda-feira e valerá já para o GP da China, no próximo fim de semana.

Na última semana, depois de um pedido unânime das equipes, o presidente da FIA, Jean Todt, e o chefe comercial da F1, Bernie Ecclestone, concordaram em abandonar o novo formato de eliminação e voltar ao que era em 2015.

Em troca, esforços seriam feitos durante o restante desta temporada considerando a reforma do formato de fim de semana de corrida, que poderia envolver um estilo diferente de qualificação ou mesmo um formato de corrida rápida aos sábados a partir de 2017.

Entretanto, para o velho estilo de qualificação voltar à ativa era necessário apoio unânime através da Comissão da F1 e do Conselho Mundial de Automobilismo da FIA.

Os votos foram solicitados na semana passada, e a aprovação formal já foi dada. Assim, a F1 reverterá para o sistema de três sessões utilizado desde 2006.

Você lembra como era antigo formato?

O formato de classificação voltará a ser o mesmo que vigorou na categoria de 2006 a 2015. Nele, o Q1 dura 20 minutos e conta com todos os carros inscritos, sendo que os 16 melhores ao final do tempo avançam. No Q2, o sistema é o mesmo, com os 6 piores sendo eliminados após 15 minutos. No Q3, de 10 minutos, os dez primeiros do grid são classificados de acordo com o melhor tempo. Os tempos podem ser revistos. 

 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias
Tags qualifying