"Fico triste por não ter sido campeão, mas não frustrado", diz Alonso ao TotalRace

Espanhol revela homenagem aos mecânicos na despedida e diz ter se tornado um piloto melhor no time italiano

“De cabeça erguida”. É assim que Fernando Alonso diz sair da Ferrari mesmo sem a conquista do sonhado título mundial com a equipe italiana após cinco anos de parceria. Ao TotalRace, o espanhol reconheceu a tristeza por ter chegado muito perto do tri em duas oportunidades, em 2010 e 2012, mas ter ficado no quase, mas negou frustração.

[publicidade] “Existe uma tristeza por não ter conseguido ser campeão, mas não frustração. Existe, sim, a tristeza porque, quando se chega na Ferrari, tem-se a ilusão de conseguir mais títulos e melhorar. Mas também saio muito orgulhoso e com a cabeça erguida por ter corrido com o coração e ter dado o melhor de mim”, garantiu o piloto.

“Melhorei como piloto e fiz anos muito importantes na minha carreira. Não quero me comparar com meus companheiros, mas quando se tem um campeão do mundo do outro lado da garagem e – sem os problemas de bateria de Spa e a quebra de Monza – eu teria feito 19 a 0 é algo que me parece fantástico. Estou tão orgulhoso que é impossível dizer que foram anos ruins”, disse, referindo-se à atual temporada ao lado de Kimi Raikkonen.

Alonso disse ter revelado seus planos ao então presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo, em agosto e afirmou que não houve resistência da equipe para deixá-lo livre de seus dois anos finais de contrato.

“Não muda muito porque hoje só foi a oficialização. As coisas já estavam assinadas há meses, mas é o dia que todos ficam sabendo que estou saindo da Ferrari. É preciso fechar uma porta para abrir a outra para que não forme uma corrente de ar, como me disse um amigo. Fechamos uma porta e vamos animados para abrir a outra.”

Porém, no dia do anúncio oficial, o espanhol reuniu seus mecânicos na garagem da equipe e explicou a homenagem feita no capacete que usará durante o GP de Abu Dhabi.

“Agradeci e disse que eles fizeram parte da minha família. Disse também que deixo de ser piloto da Ferrari para ser torcedor. Tenho um capacete especial neste final de semana porque quero levá-los comigo na última vez que vou correr pela Ferrari porque são eles que tornam a equipe grande. Outras equipes fazem grandes resultados, mas não são tão grandes que a Ferrari por causa das pessoas que estão na equipe.”
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias