Fogo, atropelamento, lambança: pitstops problemáticos da F1

Mais uma vez um pitstop malsucedido deu o que falar na F1. Além do episódio de Raikkonen, relembre outras paradas atribuladas

GP do Bahrein de 2018

GP do Bahrein de 2018
1/10

No GP do Bahrein de 2018, um incidente no pitstop deu o que falar: Kimi Raikkonen recebeu por engano a liberação para sair do box e acabou atingindo a perna de um mecânico, que sofreu fraturas.

GP do Bahrein de 2018

GP do Bahrein de 2018
2/10

Francesco Cigarini, lesionado na tíbia e na fíbula da perna esquerda, foi operado e já se recupera no Bahrein.

Photo by: Divulgacao

Jos Verstappen – GP da Alemanha de 1994

Jos Verstappen – GP da Alemanha de 1994
3/10

Um dos pitstops mais emblemáticos da história da F1. O carro de Jos Verstappen, pai de Max, pegou fogo durante um pitstop da Benetton na corrida em Hockenheim. Por sorte ninguém se feriu.

Photo by: LAT Images

Mark Webber – GP da Alemanha de 2013

Mark Webber – GP da Alemanha de 2013
4/10

Webber saiu de um pitstop com uma roda solta e o resultado foi perigoso: o pneu se soltou e atingiu em cheio um cinegrafista, que fraturou a clavícula e trincou as costelas.

Gastón Mazzacane – GP dos Estados Unidos de 2000

Gastón Mazzacane – GP dos Estados Unidos de 2000
5/10

Na volta da F1 a Indianápolis, o argentino aprontou das suas. Em um pitstop, não reduziu a velocidade como deveria e fez um “strike”: alguns mecânicos foram levemente atingidos, enquanto que outros saltaram longe para evitar o choque.

Photo by: Team copyright

Felipe Massa – GP de Cingapura de 2008

Felipe Massa – GP de Cingapura de 2008
6/10

Um dos erros de pitstop mais famosos da história. Massa recebeu a liberação para deixar o box quando a mangueira de reabastecimento ainda estava presa em seu carro. A lambança custou pontos preciosos.

Christijan Albers – GP da França de 2007

Christijan Albers – GP da França de 2007
7/10

Algo semelhante aconteceu um ano antes. Em sua última corrida na F1, Albers também levou a mangueira de reabastecimento. A diferença é que, neste caso, o holandês não havia recebido a liberação do mecânico.

Kazuki Nakajima – GP do Brasil de 2007

Kazuki Nakajima – GP do Brasil de 2007
8/10

Em sua estreia na F1, Nakajima se atrapalhou em seu primeiro pitstop: calculou mal a posição do box e, quando entrou para reabastecer, atingiu dois mecânicos com sua roda dianteira esquerda. Um deles saiu mancando, mas não houve nada grave.

Heikki Kovalainen – GP do Brasil de 2009

Heikki Kovalainen – GP do Brasil de 2009
9/10

Kovalainen foi liberado pra sair com sua McLaren do box, mas a mangueira de reabastecimento ainda estava presa. O finlandês a levou junto consigo e esparramou combustível na pista, o que foi em direção a Kimi Raikkonen, que vinha atrás – e o piloto da Ferrari ficou em chamas por alguns instantes.

Jerome D’Ambrosio – GP da Hungria de 2011

Jerome D’Ambrosio – GP da Hungria de 2011
10/10

Por fim, uma trapalhada antes mesmo do pitstop começar. O belga foi pego no contrapé do asfalto úmido e, quando ia em direção ao box, rodou e ficou ao contrário. Por sorte nenhum mecânico foi atingido.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Conteúdo especial