"FOM deveria custear motor alternativo", diz Marchionne

Sergio Marchionne não se opõe a conceito de motor alternativo, mas diz que a Formula One Management , de Bernie Ecclestone, deveria assumir os custos de tal produção

Sexta-feira, 15 de janeiro. Esse é o prazo final que as atuais fabricantes de motor da Fórmula 1 têm para apresentar soluções em relação aos custos atuais das unidades de potência da categoria.

O presidente da Ferrari, Sergio Marchionne, aproveitou o momento para tecer críticas à FOM (Formula One Management), detentora dos direitos comerciais da categoria.

"Se você vai até a Mercedes e diz 'por favor, dê-nos um grupo de engenheiros para desenvolver um motor alternativo, diferente daquilo que tem sido feito nas regras da F1 e que custa uma certa quantia de dinheiro, creio que a FOM deveria cobrir esses custos", disse ao site da revista britânica Autosport.

Sobre uma possível colaboração conjunta das fabricantes para o desenvolvimento de uma unidade de potência de menor custo para as equipes clientes, Marchionne diz que a Ferrari pode se envolver, mas não quer ser a única a compartilhar conhecimento", disse.

"A Ferrari está disponível para participar de um projeto em que desenvolveríamos unidades de potência e gostaríamos de compartilhar nossa tecnologia, mas não podemos ser os únicos a fazer isso. Além disso, esse desenvolvimento deve ser feito pensando no lado financeiro também", afirmou.

A FIA (Federação Internacional de Automobilismo) e a FOM querem que as fabricantes reduzam o valor cobrado para fornecer motores às equipes clientes, mas o presidente da Ferrari diz que é contraditório da parte das entidades pedir redução dos valores das unidades de potência vendidas e ao mesmo tempo solicitar investimentos para o desenvolvimento de um novo motor.

"A Ferrari investe muito dinheiro na F1 e isso, evidentemente, tem um grande impacto sobre nossas marcas e em atividades comerciais fora da categoria. É caro para nós, assim como é para a Mercedes. Parece que o único que sai vencendo nesta história é Bernie", disse

"Os que controlam os direitos comerciais também deveriam assumir responsabilidades - nós também temos as nossas, mas é diferente. Mudar as regras para impor responsabilidades a nós e à Mercedes é totalmente inadequado", completou.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias