Force India: "F1 precisa repensar distribuição de dinheiro"

A categoria precisa acordar para os perigos que existem no começo e final do grid, com as incertezas sobre o futuro de muitas equipes, disse o dirigente da Force India, Bob Fernley

Com a Lotus enfrentando severas dificuldades financeiras enquanto espera notícias sobre ser comprada pela Renault, também não há garantias de que os times da Red Bull estarão no grid em 2016, por não encontrarem um fornecedor de motores competitivos.

Com problemas semelhantes atingindo outras equipes, o dirigente da Force India acredita que a Europa pode ter um "longo inverno" pela frente ao final da atual temporada, se nada for feito para ajudar os times.

"A coisa que estávamos preocupados no ano passado começou a voltar a nos assombrar novamente. Temos a pobre Lotus com grandes problemas financeiros e esperamos que eles resolvam isso. Mas é sintomático, os times como Lotus, Force India e Williams não estão recebendo os fundos que deveriam na repartição da receita da F1", disse Bob Fernley.

"E o pior é que na outra ponta, onde o dinheiro circula, também há o medo de que a Red Bull deixe a F1. A crise está nas duas partes e isso me assusta. E eu acho que a espinha dorsal da F1, como nós sempre dissemos, são os times independentes. Sem eles, a categoria perde a graça", disse.

Ameaça da Red Bull

Enquanto Fernely admite que há pouco o que os chefes da F1 possam fazer para impedir que equipes como a Red Bull abandonem a F1, ele está igualmente ciente de que esforços devem ser feitos para que equipes menores curem as suas feridas financeiras.

"Eu acho que se a Red Bull for embora, é por que fizeram um bom negócio com a F1. Mas a categoria é maior do que a Red Bull e irá continuar. Após seis meses ninguém vai lembrar quem era a Red Bull. Da mesma forma que ninguém irá lembrar da Force India", disse Fernley.

 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes Force India
Tipo de artigo Últimas notícias