Force India rebate teorias sobre Ocon/Hamilton em Mônaco

compartilhar
comentários
Force India rebate teorias sobre Ocon/Hamilton em Mônaco
Adam Cooper
Por: Adam Cooper
9 de jun de 2018 14:19

A Force India negou que Esteban Ocon recebeu um pedido para deixar Lewis Hamilton passar no GP de Mônaco e favorecer a Mercedes, após reclamações de equipes rivais à FIA.

Esteban Ocon, Force India
Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W09, leads Esteban Ocon, Force India VJM11
Esteban Ocon, Force India VJM11
Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team R.S. 18, leads Esteban Ocon, Force India VJM11
Esteban Ocon, Force India VJM11, leads Fernando Alonso, McLaren MCL33
Sergio Perez, Force India VJM11
Esteban Ocon, Force India VJM11
Esteban Ocon, Force India VJM11
Esteban Ocon, Force India VJM11, in the pit lane
Esteban Ocon, Force India VJM11

Hamilton voltou de seu pitstop em Mônaco atrás de Ocon, e quando alcançou o francês, não houve resistência, já que o piloto da Force India abriu espaço para que o inglês fizesse a ultrapassagem na saída do túnel.

Depois da corrida, o chefe da Mercedes, Toto Wolff, supostamente sugeriu a um jornal belga que ele pediu à Force India para que Ocon, um piloto júnior da Mercedes, deixasse Hamilton passar. 

Em seguida, várias equipes entraram em contato com a FIA, sugerindo que havia uma trama entre a Mercedes e sua equipe cliente.

Após uma investigação acerca das circunstâncias, a entidade decidiu que não havia mérito para continuar indo além. 

Chefe de operações da Force India, Otmar Szafnauer negou que sua equipe estava ajudando a Mercedes e que, na verdade, estava simplesmente focando em sua própria estratégia.

“A razão para aquilo, não importo com o que Toto diz, é que estávamos correndo nossa própria corrida, e não contra Lewis naquele momento”, disse Szafnauer. “E não queríamos perder tempo de forma alguma.”

“E Alonso havia parado pouco antes e tentou fazer o undercut, e não queríamos perder tempo com Lewis de forma que Alonso poderia ter uma chance de nos passar – e foi por isso que pedimos a Esteban para que não perdesse tempo com Lewis.”

“Quando você corre olhando nos retrovisores, não vai tão rápido. Mesmo que perca alguns décimos de segundo, é muito. E quando você está correndo de perto com algum cara tentando te passar na estratégia, você não pode fazer isso.”

“O que você pode fazer é segurá-lo por cinco, seis, sete voltas, e ele te passa de qualquer forma, mas aí você perde para Lewis e para o cara contra quem você está realmente correndo. Você não está correndo contra ele na pista, porque ele já parou e você ainda não.”

O diretor técnico, Andy Green, insistiu que se trata de uma prática constante da Force India não lutar contra carros mais velozes em circunstâncias assim.

“Fazemos isso o tempo inteiro”, disse Green. “Quando um carro rápido se aproxima, reconhecemos que não estamos competindo com eles e aí não corremos. Perdemos a quantidade mínima de tempo.”

“Às vezes, você pode perder 2s por volta quando tenta defender.”

O próprio Ocon disse que sabia que não havia motivos para lutar com Hamilton.

“Eu fiquei surpreso que isso tenha se tornado um assunto, provavelmente porque não houve uma explicação apropriada depois da corrida.”

“Acho que vocês já ouviram de Andy e Otmar. Não era a minha corrida. Lewis tinha 20s de vantagem sobre mim, já havia parado e estava com pneus novos.”

“Eu não queria perder tempo para Gasly e Fernando que estavam atrás de mim. Aquela era a minha corrida no momento.”

“Se eu estivesse em uma briga direta, a situação seria diferente. Eu teria lutado de forma justa com Lewis e não haveria problemas.”

Next article
Grosjean admira que Alonso siga “com fome” depois de 300 GPs

Previous article

Grosjean admira que Alonso siga “com fome” depois de 300 GPs

Next article

Verstappen confirma domínio e lidera TL3 do GP do Canadá

Verstappen confirma domínio e lidera TL3 do GP do Canadá
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP de Mônaco
Localização Monte Carlo circuito de rua
Pilotos Esteban Ocon
Equipes Force India
Autor Adam Cooper