Force India: Safety Car virtual nos custou o pódio no México

Robert Fernley acredita que a Force India poderia ter conquistado seu primeiro pódio da temporada 2017 no México, se não fosse um carro de segurança virtual mal acionado

Esteban Ocon assumiu a terceira posição na primeira curva do GP do México, enquanto seu companheiro de equipe, Sergio Pérez, também ganhou posições ao subir para quinto.

O mexicano, no entanto, começou a sofrer pressão de Kimi Raikkonen, da Ferrari, e foi forçado a fazer uma parada precoce na volta 18. Ao fazer isso, desencadeou uma reação em cadeia, forçando Ocon a parar duas voltas mais tarde.

Mas a estratégia falhou quando o Safety Car Virtual foi acionado na sequência do abandono de Brendon Hartley, o que acabou concedendo a Raikkonen uma parada no box sem tráfego.

O finlandês conseguiu superar os dois pilotos da Force India nos boxes, com seu companheiro de Ferrari, Sebastian Vettel, que também conseguiu superá-los depois de se recuperar do drama da volta 1.

Ocon terminou em quinto lugar, enquanto Perez cruzou a linha de chegada em sétimo depois de se deixar passar pela Williams de Lance Stroll.

No entanto, o vice-presidente da Force India, Robert Fernley, defendeu a estratégia da equipe, dizendo que precisava fazer algo diferente para perseguir um pódio.

"Estávamos indo para um pódio. Normalmente, quando estamos correndo, estamos olhando para não nos preocuparmos com Ferrari, Red Bull e Mercedes porque não podemos vencê-los", disse Fernley ao Motorsport.com.

"Aqui tivemos uma oportunidade, então nós jogamos os dados, e ao rolarem os dados, também compreendemos quando dá errado. Valeu a pena fazer. Foi um bom esforço, mas no final, não tivemos o ritmo suficiente para reter as Ferrari”.

"No final, Raikkonen foi um pouco mais rápido. O Safety Car [virtual] jogou tudo pela janela e permitiu que Vettel passasse”.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes Force India
Tipo de artigo Últimas notícias