Force India tem problema "fundamental" com carro de 2018

Equipe admitiu que seu novo carro tem problema que está afetando equilíbrio nas curvas

A Force India teve um difícil início de temporada, já que vem perseguindo a cura para um problema que surgiu pela primeira vez nos testes de pré-temporada.

Depois de inicialmente duvidar dos próprios dados da equipe, foi só antes da abertura da temporada na Austrália que o time se deu conta dos problema de equilíbrio que tinha.

Quando perguntado pelo Motorsport.com sobre quando a equipe estava ciente disso, o diretor técnico Andy Green disse: "Começou provavelmente entre os testes de Barcelona e Melbourne.”

"Estávamos um pouco duvidosos sobre os dados que estávamos recebendo, se era real ou não, e então precisávamos fazer mais testes no carro.”

"Tudo o que vimos até agora sugere que é real, por isso estamos tentando mudar isso. Mas, até agora, ainda não conseguimos."

Green disse que as primeiras indicações se referem a um "problema fundamental" que os dados de CFD e túnel de vento não estavam alinhados com o desempenho do carro na pista.

"Não é uma questão de túnel, é um problema real", disse ele. "Os dados do túnel e o CFD coincidem, mas infelizmente não correspondem à realidade."

Green disse que a falta equilíbrio na traseira também estava dificultando a avaliação de outras peças do carro, como a nova asa dianteira que chegou ao Bahrein no último final de semana.

"Ainda estamos muito confiantes de que a asa dianteira faz o que queremos", disse ele. "Mas ela foi projetada para estar em um carro que gera mais carga traseira, o que não temos no momento.”

"É incrivelmente difícil julgar o potencial do carro. Não é apenas uma carga aerodinâmica, é também um problema de gerenciamento de pneus. É muito difícil controlar os pneus traseiros quando se tem uma carga traseira flutuante."

Atualização no GP da Espanha

Green disse que espera que uma atualização para o GP da Espanha no próximo mês ajude a sanar o problema.

"Espero que tenhamos algo que mude isso em Barcelona", disse ele. "Há definitivamente uma solução lá. O que estamos tentando fazer é encontrar uma solução rápida.”

"Com uma folha de papel limpa, provavelmente poderíamos resolvê-lo imediatamente, mas não temos uma folha de papel limpa, já temos um carro que existe.”

"Demora um pouco mais para tentar fazer isso com os recursos que temos e com o carro que já temos. Levará algumas corridas, eu acho."

No entanto, ele disse que a questão na parte traseira poderia ser mais grave, na escolha de conceito do carro de 2018.

"Pode ser uma mudança fundamental que fizemos durante o inverno e que precisamos recuar", disse ele.

"O carro é diferente. Pode parecer o mesmo, mas cada parte do carro é diferente, então qual parte do carro nós mudamos que fundamentalmente perturbou tudo? É uma mudança muito sutil."

Indo longe demais

O diretor técnico da Renault Sport, Bob Bell, disse que era "surpreendente" o quão longe as equipes como Force India e Williams estavam nessa temporada.

No entanto, ele disse que, se o problema é aerodinâmico, não há razão para que essas equipes não recuperem terreno se descobrirem a causa.

"Esses carros, do ponto de vista aerodinâmico, são projetados para rodar bem perto da borda do desempenho", disse Bell.

"Às vezes você pode ir longe demais e os túneis de vento ou CFD não lhe dizem a verdade. E você simplesmente ultrapassa a borda.”

"Quando você descobre o que é isso e conserta, dá um passo à frente."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes Force India
Tipo de artigo Últimas notícias