Fry admite: "Não há uma luz que podemos ligar e resolver tudo"

Diretor técnico da Ferrari diz que principal problema do carro foi erro inicial no projeto das saídas do escapamento

A Ferrari tem menos da metade dos pontos da Red Bull após quatro etapas

Ninguém na Ferrari esconde que essas próximas semanas serão fundamentais para a equipe. Os testes de Mugello, semana que vem, e a corrida de Barcelona devem determinar se a Scuderia conseguirá melhorar o bastante para lutar pelo campeonato ainda neste ano.

Pat Fry, diretor técnico do time, garante que os italianos já sabem quais os problemas, mas salienta que as soluções não virão da noite para o dia. 

“Acho que temos uma compreensão razoável das áreas em que precisamos trabalhar. Não há uma luz que podemos ligar e resolver tudo. Você pode saber qual o problema, mas é preciso trabalhar duro para resolvê-lo. E não é algo que se faz em uma semana.”

Fry conta que o grande entrave neste início de temporada foi a necessidade de reprojetar o escapamento, após a solução inicial se mostrar pouco efetiva. Isso fez com que várias áreas da traseira do carro tivessem de ser repensadas.

“Há problemas diferentes, sendo que o mais óbvio foi a dificuldade que tivemos com os pneus traseiros devido ao nosso sistema original de escapamento ainda na pré-temporada. Acredito que agora superamos isso – ainda que não tenhamos usado aquela configuração desde o testes de Barcelona.”

Mesmo admitindo que a Ferrari mudará bastante seu carro para a próxima prova, na Espanha, Fry não quer causar expectativa quanto a uma melhora significativa. “Haverá uma grande quantidade de peças novas em Barcelona. É uma corrida de desenvolvimento. Mas temos tantas novidades quanto nossos rivais.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias