Fry: "Alguns ficarão surpresos e outros chocados com pneus"

Diretor técnico da Ferrari acredita que temperaturas mais altas no GP da Austrália poderão chacoalhar o grid

A estreia dos novos pneus Pirelli em condições reais de corrida pode mudar muita coisa na relação de forças entre as equipes, acredita o diretor técnico da Ferrari, Pat Fry. Para o inglês, a diferença considerável de temperatura esperada para o GP da Austrália – acima dos 30ºC – para o que foi visto na pré-temporada – entre 5º e 10ºC – deve chacoalhar o grid.

“Acho que o ritmo de corrida terá a ver com como usamos os pneus. Acho que ainda haverá muitos aprendendo em Melbourne. Haverá algumas pessoas surpresas e outras chocadas. Veremos, mas será o mesmo para todos”, afirmou Fry.

“Pouco é conhecido sobre os pneus. Quando sua primeira volta é 1s5 mais rápida que a segunda, não gostaria de comparar o ritmo de corrida em relação ao de classificação. Acho que estará bem misturado. Não gostaria de prever onde estaremos. Será interessante andar em uma pista quente.”

Pelo menos do lado da aerodinâmica, a Ferrari não tem do que reclamar. Depois de constantes falhas de correlação, obtendo dados diferentes no túnel de vento e no CFD (Fluidodinâmica Computacional, que mede virtualmente os fluxos de ar) e na pista, a equipe ficou feliz com as informações obtidas nos testes. “Acho que tivemos bons resultados. O que funcionou no CFD e no túnel de vento está começando a dar certo na pista, então é um bom sinal para Melbourne e nosso desenvolvimento ao longo do ano.”

Isso faz com que a equipe não esteja tão perdida quando no início da última temporada. “A situação é certamente muito diferente dessa época ano passado”, garantiu Fry. “O lado bom é que forçamos até o final do ano devido ao campeonato e começamos nosso programa de aerodinâmica bem tarde. Isso atrasou muitos updates e a fábrica estava funcionando muito bem.”

 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias