Fundão tem Vergne bem e Caterham roubando a 10ª posição da Marussia

Francês da Toro Rosso chegou a andar em sétimo, mas seus pneus acabaram, enquanto Kovalainen terminou em 13º lugar

Vergne chegou perto dos pontos

Toques na largada, tráfego e problemas técnicos marcaram a corrida do final do pelotão. Os destaques ficaram por conta de Jean-Eric Vergne, que chegou a rodar em sétimo com a Toro Rosso, mas não conseguiu manter seus pneus no final da prova. E também da Caterham, que roubou a importante décima posição da Marussia no Mundial de Construtores após a grande performance de Heikki Kovalainen garantir um 13º lugar para a equipe.

Jean-Eric Vergne, Toro Rosso, 12º: “Estava perdendo muito tempo atrás da Marussia, então antecipamos bastante a parada. Daí em diante, o ritmo foi muito bom e cheguei a ficar em sétimo. Mas, com 14 voltas para o final, meus pneus acabaram e coloquei intermediários. Só que a chuva não foi forte o bastante. As voltas que passei preso no tráfego foram uma pena, porque poderia ter chegado nos pontos.”

Heikki Kovalainen, Carterham, 13º: “Foi uma grande corrida para a equipe e estou feliz que tenhamos conseguido de volta a décima posição [no Mundial de Construtores] e obtido nossa melhor posição de chegada do ano. Acho que poderia ter sido melhor, mas a chuva não veio na hora certa.”

Timo Glock, Marussia, 14º: “Há um pouco de desapontamento após uma corrida que começou tão bem. Estava conseguindo me manter no ritmo do Button até que uma parte da asa dianteira quebrou, provavelmente por um toque ainda no início da corrida com Perez. Estou feliz com minha performance, mas triste pela perda do 10º lugar no Mundial de Construtores.”

Narain Karthikeyan, HRT, 15º: “Foi um bom resultado e uma boa maneira de superar o desapontamento de Barcelona. Agora preciso trabalhar nosso ritmo de classificação, o que tem sido meu ponto fraco na temporada.”

Vitaly Petrov, Caterham, abandonou: “Larguei bem, mas daí uma Sauber veio para cima de mim e batemos na curva 1. Isso provocou um problema na asa do carro. Forcei o máximo que pude, mas o volante estava mostrando um alerta de bateria baixa, o que acabou com minha corrida.”

Daniel Ricciardo, Toro Rosso, abandonou: “Larguei bem. Estava atrás do Di Resta, que estava com o pneu macio, com uma estratégia diferente. Tentamos ficar o máximo na pista, mas quando voltei estava atrás de Button. Então ataquei uma zebra muito forte. Não senti nada na hora, mas depois o volante se mostrou muito solto e não ficou mais seguro pilotar.”

Pedro de la Rosa, HRT, abandonou: “É uma pena, porque largávamos de uma posição interessantes e tínhamos a mesma estratégia que funcionou com Vettel. Mas não completamos mais do que 300 m. Não foi culpa minha ou da equipe, mas sim de outro piloto.”

Charles Pic, Marussia, abandonou: “Não foi uma boa corrida para mim. Na verdade, não fui bem em todo o final de semana. Nosso ritmo era melhor na corrida, mas tive de parar cedo por um problema elétrico.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP de Monaco
Pilotos Pedro de la Rosa , Narain Karthikeyan , Heikki Kovalainen , Timo Glock , Vitaly Petrov , Daniel Ricciardo , Charles Pic
Tipo de artigo Últimas notícias