GALERIA: Grosjean e outros pilotos no “inferno astral” na F1

Piloto da Haas começou a temporada de 2018 com maré de maus resultados; relembre como foram suas primeiras provas do ano

Ano para esquecer

Ano para esquecer
1/13

Até agora, Romain Grosjean tem feito temporada para esquecer na F1. Mesmo capaz de ocupar posições de destaque, o francês ainda não marcou pontos no ano. Relembre como Grosjean entrou em seu inferno astral em 2018.

GP da Austrália

GP da Austrália
2/13

Grosjean caminhava tranquilamente para terminar em sexto em Melbourne, mas tanto ele como seu companheiro, Kevin Magnussen, abandonaram pelo mesmo motivo: o time cometeu erros durante o pitstop e liberou os carros com as rodas ainda soltas.

GP do Bahrein

GP do Bahrein
3/13

Magnussen conseguiu já pontuar no Bahrein (foi quinto), mas Grosjean teve novas dificuldades. O francês teve uma estratégia complicada e enfrentou contratempos com uma peça de sua carenagem que se soltou e ficou presa no assoalho. Resultado: ficou apenas em 13º.

GP da China

GP da China
4/13

Magnussen voltou a pontuar em Xangai, mas Grosjean teve novas dificuldades. Sua estratégia não funcionou com a intervenção do safety car, e ele fechou a prova somente na 17ª colocação.

GP do Azerbaijão

GP do Azerbaijão
5/13

Grosjean enfrentou problemas na classificação e largou em último, mas vinha em um impressionante sexto lugar. Porém, cometeu uma lambança: rodou sozinho durante o safety car, bateu e abandonou de forma embaraçosa.

GP da Espanha

GP da Espanha
6/13

O último capítulo da má fase de Grosjean veio na Espanha. Ele largou em 10º, mas rodou sozinho nas primeiras curvas e provocou um acidente múltiplo. Sua corrida acabou ali, enquanto que Magnussen voltou a pontuar ao ser sexto.

No zero

No zero
7/13

Assim, apenas Grosjean e Sergey Sirotkin seguem zerados na temporada de 2018 (sendo que Magnussen já tem 19 pontos). Para piorar, o francês sofreu uma punição de três posições no grid para o GP de Mônaco, o que dificulta ainda mais sua fase.

O inferno astral de 2012

O inferno astral de 2012
8/13

Não é o primeiro período turbulento da carreira de Grosjean na F1. Em 2012, sua primeira temporada completa, se envolveu em múltiplos acidentes e chegou até a ser suspenso de uma prova.

Max Verstappen, 2018

Max Verstappen, 2018
9/13

Verstappen é outro que passou por um inferno astral no começo de 2018. Foram erros cometidos nas quatro primeiras provas que o colocaram no centro das críticas; contudo, o pódio na Espanha aliviou o mau momento.

Max Verstappen, 2017

Max Verstappen, 2017
10/13

Verstappen também teve suas dificuldades no ano passado, quando teve sete abandonos (por acidentes ou problemas mecânicos) em 12 provas. A maré chegou ao fim com a vitória dominante no GP do Japão.

Daniil Kvyat, 2016

Daniil Kvyat, 2016
11/13

Kvyat pareceu não ter se recuperado da saída repentina da Red Bull e iniciou uma fase terrível, com muitas performances apagadas. Ele acabou demitido na fase final da temporada de 2017.

Felipe Massa, 2012

Felipe Massa, 2012
12/13

Quem também teve fase para esquecer foi Massa. Alonso conseguiu vitórias, poles e se colocar na disputa pelo título, enquanto que o brasileiro penou para marcar pontos e chegar ao pódio. A má fase foi espantada com o segundo lugar obtido no GP do Japão.

Lewis Hamilton, 2011

Lewis Hamilton, 2011
13/13

Hoje tetracampeão, Hamilton viveu momentos de baixa em 2011. Naquele ano, alternou provas competitivas com atuações erráticas, marcadas por acidentes e abandonos. Terminou o ano ofuscado por Jenson Button e teve de se reinventar para a temporada de 2012.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias