GALERIA: Haas e as outras falhas humanas “doídas” da F1

compartilhar
comentários
GALERIA: Haas e as outras falhas humanas “doídas” da F1
27 de mar de 2018 13:29

Ao que tudo indica, erros de mecânicos comprometeram a promissora corrida da Haas no GP da Austrália. Lembramos, então, de outras falhas humanas (sem ser dos pilotos) que provocaram abandonos doloridos

Galeria
Lista

Haas – GP da Austrália de 2018

Haas – GP da Austrália de 2018
1/14

Foto de: Sutton Motorsport Images

A Haas sofreu abandonos dramáticos no GP da Austrália. Os dois carros estavam destinados a terminar entre os seis melhores, mas problemas nos pitstops resultaram na saída de Kevin Magnussen e Romain Grosjean da prova.

Haas – GP da Austrália de 2018

Haas – GP da Austrália de 2018
2/14

Foto de: Sutton Motorsport Images

A equipe ainda analisará detalhadamente o que se passou, mas Gunther Steiner, chefe da equipe, indicou que o problema deve ter sido humano, já que não houve muito treinamento dos mecânicos antes do GP da Austrália.

Haas – GP da Austrália de 2018

Haas – GP da Austrália de 2018
3/14

Foto de: Sutton Motorsport Images

Um erro humano de mecânicos ou engenheiros pode custar muito caro na F1, e a Haas não está sozinha nessa. Lembraremos de outros exemplos de que falhas tiveram consequências importantes na categoria.

Felipe Massa – GP de Cingapura de 2008

Felipe Massa – GP de Cingapura de 2008
4/14

Foto de: Sutton Motorsport Images

Impossível não se lembrar da famosa mangueira de Cingapura. Em 2008, o mecânico chefe autorizou a saída de Massa do pitstop quando seu reabastecimento ainda era realizado, o que provocou uma grande lambança.

Felipe Massa – GP de Cingapura de 2008

Felipe Massa – GP de Cingapura de 2008
5/14

Foto de: Steven Tee / LAT Images

A equipe precisou de muito tempo para corrigir o erro, mas as chances na corrida já estavam comprometidas. A falha custou pontos preciosos na disputa do título daquele ano.

Eddie Irvine – GP da Europa de 1999

Eddie Irvine – GP da Europa de 1999
6/14

Foto de: Sutton Motorsport Images

Irvine estava no páreo do título daquele ano, mas, na antepenúltima prova, esteve no centro de outra gafe histórica da Ferrari. Enquanto estava em quinto lugar, o piloto fez um pitstop para trocar pneus.

Eddie Irvine – GP da Europa de 1999

Eddie Irvine – GP da Europa de 1999
7/14

Foto de: LAT Images

O problema é que um pneu simplesmente sumiu – no caso, o traseiro direito. O pitstop, que deveria durar menos de 10s, levou 28s. Mais pontos preciosos foram perdidos na luta contra Mika Hakkinen.

Daniel Ricciardo – GP de Mônaco de 2016

Daniel Ricciardo – GP de Mônaco de 2016
8/14

Foto de: Sutton Motorsport Images

Ricciardo tinha chance de ouro para vencer naquele dia. O australiano fez a pole position e liderava, mas, quando foi colocar pneus de seco, a Red Bull se atrapalhou.

Daniel Ricciardo – GP de Mônaco de 2016

Daniel Ricciardo – GP de Mônaco de 2016
9/14

Foto de: Sam Bloxham / LAT Images

O pitstop deveria levar poucos segundos, mas levou uma eternidade. Resultado: Ricciardo perdeu a liderança (e a vitória) para Lewis Hamilton, e o famoso sorriso do australiano desapareceu naquele dia.

Rubens Barrichello – GP do Brasil de 2003

Rubens Barrichello – GP do Brasil de 2003
10/14

Foto de: Brousseau Photo

Barrichello caminhava para vencer pela primeira vez em casa em uma corrida dramática em Interlagos. Porém, teve de abandonar por um erro de cálculo dos engenheiros: ficou sem combustível pouco depois de assumir a liderança. Uma falha que entrou para a história.

Jenson Button – GP de Mônaco de 2010

Jenson Button – GP de Mônaco de 2010
11/14

Foto de: Sutton Motorsport Images

A corrida de Button durou apenas duas voltas em Mônaco. O motivo: um mecânico esqueceu um equipamento na refrigeração de ar do McLaren, o que provocou a rapidamente a quebra. Button, que liderava o campeonato, caiu para quarto na tabela após aquela prova.

Michael Schumacher – GP da China de 2012

Michael Schumacher – GP da China de 2012
12/14

Foto de: Sutton Motorsport Images

Schumacher tentava conquistar seu primeiro pódio desde que retornou à F1 pela Mercedes, mas, quando era segundo, um erro pôs tudo a perder: um mecânico não apertou uma roda de forma adequada e o alemão foi obrigado a abandonar.

Jacques Villeneuve e Heinz Harald Frentzen – GP de Mônaco de 1997

Jacques Villeneuve e Heinz Harald Frentzen – GP de Mônaco de 1997
13/14

Foto de: LAT Images

Na disputa pelo título de 97, a Williams cometeu um erro de avaliação: colocou seus dois carros para largar de pneus de pista seca quando ainda chovia. Villeneuve e Frentzen naturalmente despencaram no pelotão, o que aumentou o jejum de vitórias da equipe no Principado.

Valtteri Bottas – GP da Bélgica de 2015

Valtteri Bottas – GP da Bélgica de 2015
14/14

Foto de: Sutton Motorsport Images

Por fim, um erro que custou a Bottas uma chance de pódio. Em um pitstop, a Williams colocou três pneus macios e um médio no carro do finlandês, o que é proibido por regulamento. Ele teve de fazer um pitstop extra, pagar uma punição e, consequentemente, abrir mão de suas chances.

Próxima Fórmula 1 matéria
McLaren já iguala melhor resultado da era Honda na Austrália

Previous article

McLaren já iguala melhor resultado da era Honda na Austrália

Next article

Corinthians terá 3º uniforme em homenagem a Senna

Corinthians terá 3º uniforme em homenagem a Senna

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Tipo de matéria Conteúdo especial