Gasly: Dirigibilidade Honda é melhor que da Renault de 2017

compartilhar
comentários
Gasly: Dirigibilidade Honda é melhor que da Renault de 2017
Por: Scott Mitchell
Traduzido por: Daniel Betting
7 de ago de 2018 12:01

Pierre Gasly acredita que a dirigibilidade do motor 2018 da Honda é "mais consistente" da que ele experimentou com a Renault no final da temporada passada

Pierre Gasly fez sua estreia com a Toro Rosso nas últimas corridas de 2017, quando a equipe usava motores Renault, e sua primeira temporada completa na F1 coincidiu com a mudança da equipe júnior da Red Bull para a Honda.

O francês entrou em férias depois de se classificar em sexto na Hungria no quali disputado com pista molhada e terminar a corrida na mesma posição em condições quentes e secas.

Gasly disse que enquanto a Honda ainda está progredindo na redução de seu déficit de potência diante dos rivais, o motor já tem outros pontos fortes.

“No lado da dirigibilidade, desde o começo do ano, acho que é muito bom e mais consistente comparado ao que tivemos com a Renault no ano passado. É mais na aceleração e no torque que você recebe do motor.”

Leia também:

“Nós sabemos onde precisamos melhorar. Em termos de potência geral, precisamos melhorá-lo, mas em termos de dirigibilidade é muito bom.”

Gasly disse que a curva de potência da Honda é boa quando você precisa estar "no limite de tração", como na sessão de classificação molhada em Hungaroring.

O diretor técnico da Honda, Toyoharu Tanabe, disse ao Motorsport.com que era muito difícil avaliar a parte que o motor tocava no tempo de volta.

“O suporte de pista da Honda acha que a dirigibilidade é uma das prioridades. Eles estão desenvolvendo isso em Sakura, nós temos isso aqui no mundo real, onde o piloto é nosso cliente”, disse.

"Dirigibilidade é a comunicação entre a unidade de potência e o piloto, por isso precisamos melhorar essa área e isso é muito importante para nós."

Depois de uma série de corridas em pistas sensíveis à potência, que expuseram a extensão do déficit de desempenho máximo da Honda diante de Ferrari, Mercedes e Renault, o fim de semana em Budapeste foi extremamente positivo para a fabricante japonesa.

"Sabíamos que é uma pista que é um pouco menos sensível à potência e, de certa forma, poderia tornar as coisas um pouco mais próximas entre todos", disse Gasly.

“Mas a Honda fez um trabalho fantástico na classificação em condições molhadas, a dirigibilidade foi ótima, e então não tivemos nenhum problema [na corrida, disputada em temperatura ambiente de 30 graus].”

Próxima Fórmula 1 matéria
Piloto do simulador da Red Bull detalha teste “insano” na F1

Previous article

Piloto do simulador da Red Bull detalha teste “insano” na F1

Next article

Alonso: 70% do conhecimento da McLaren é direcionado a 2019

Alonso: 70% do conhecimento da McLaren é direcionado a 2019
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Pilotos Pierre Gasly
Equipes Toro Rosso Shop Now
Autor Scott Mitchell
Tipo de matéria Últimas notícias