Gasly: Honda não é a única razão para dificuldades da STR

compartilhar
comentários
Gasly: Honda não é a única razão para dificuldades da STR
Pablo Elizalde
Por: Pablo Elizalde
8 de mai de 2018 15:07

Pierre Gasly afirmou que o motor Honda não é o único culpado pela falta de performance da Toro Rosso nas duas últimas corridas da F1.

Pierre Gasly, Toro Rosso STR13 Honda, is returned to the garage
Pierre Gasly, Toro Rosso, climbs out of his car
Pierre Gasly, Toro Rosso STR13 Honda, Kimi Raikkonen, Ferrari SF71H
Pierre Gasly, Toro Rosso STR13 Honda
Pierre Gasly, Scuderia Toro Rosso STR13
Pierre Gasly, Toro Rosso, on the grid
Pierre Gasly, Toro Rosso STR13 Honda, Fernando Alonso, McLaren MCL33 Renault, and Stoffel Vandoorne, McLaren MCL33 Renault
Pierre Gasly, Toro Rosso STR13 Honda

A equipe de Faenza brilhou na segunda etapa da temporada, com Gasly obtendo um incrível quarto lugar. Porém, a Toro Rosso não conseguiu reproduzir a performance nas duas etapas seguintes, sofrendo mais para o fim do pelotão na China e no Azerbaijão.

Gasly afirmou que a equipe não conseguiu entender a queda depois de uma apresentação tão forte no Bahrein, mas disse que o motor Honda era apenas parte do problema.

“É difícil, na verdade, porque os dois fins de semana foram realmente difíceis em termos de performance”, disse o francês. “Sabíamos que a China tem uma das retas mais longas da temporada, e Baku também.”

“Até mesmo no lado do chassi não estamos tão competitivos. Parecemos competitivos nas freadas, mas então tudo desaparece na tração. Nós não temos o ritmo, na verdade. Isso é algo que precisamos entender.”

“Eu não entendo como é possível ser tão competitivo, ter um carro que seja tão bom em termos de equilíbrio, em termos de potencial, e depois ter uma diferença tão grande assim que você vai a outra pista.”

Seu companheiro de equipe, Brendon Hartley, disse que também não conseguiu entender por que a Toro Rosso tem apresentado dificuldades. 

“Eu não sei. Quem dera se eu soubesse”, disse. “A pergunta óbvia é por que nós fomos tão rápidos no Bahrein. OK, Pierre teve o resultado, eu também tinha o ritmo, mas, obviamente, não tive o resultado.”

“No momento, não tenho as respostas, e acho que a equipe continuará tentando entender. Mas, sim, isso foi há apenas algumas semanas”, acrescentou o neozelandês, que marcou seu primeiro ponto na F1 com um 10º lugar em Baku.

Gasly disse depois da corrida que o uso de energia de sua unidade de potência tem sido “bem difícil” para a equipe.

O chefe da Honda na F1, Toyoharu Tanabe, admitiu que a fabricante japonesa precisava encontrar soluções para sua falta de performance.

“Tivemos um começo de fim de semana difícil novamente”, disse Tanabe. “O ritmo de classificação talvez, especialmente no carro de Gasly, não foi tão ruim. A posição foi ruim por causa do acidente. Nosso ritmo durante a corrida não era bom o suficiente. Precisamos analisar isso.”

“Precisamos analisar os dados e, então, descobrir o que aconteceu. Tivemos muitas ultrapassagens durante a corrida. Precisamos analisar o lado de gestão de energia e performance da unidade de potência.”

Reportagem adicional de Oleg Karpov

Relembre a carreira de Gilles Villeneuve

 

Próxima Fórmula 1 matéria
FIA rejeita pedido da Williams de rever punição a Sirotkin

Previous article

FIA rejeita pedido da Williams de rever punição a Sirotkin

Next article

Sainz acredita que Renault quer continuar com ele em 2019

Sainz acredita que Renault quer continuar com ele em 2019
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Pilotos Pierre Gasly
Equipes Toro Rosso Shop Now
Autor Pablo Elizalde
Tipo de matéria Últimas notícias