Governo diz que não irá ajudar a financiar GP da Holanda de F1

compartilhar
comentários
Governo diz que não irá ajudar a financiar GP da Holanda de F1
Por:
6 de fev de 2019 13:49

Ministro do esporte holandês fala que corrida no país “não justifica uso de recursos do governo”

A tentativa de reviver o GP da Holanda de Fórmula 1 terá que ser feita sem apoio financeiro do governo do país, que declarou que financiar uma corrida não é algo “necessário e nem justificado”.

Os principais circuitos holandeses, Zandvoort e Assen, estão ansiosos para facilitar o retorno da F1 ao país, com Zandvoort garantindo um acordo exclusivo para tentar negociar um acordo com os chefes do campeonato até o final de março de 2019.

A intenção é adicionar um GP ao calendário da próxima temporada, para ganhar em cima da popularidade de Max Verstappen.

Após avaliar se a contribuição para um evento esportivo comercial é "apropriada", o ministro de medicina e esporte da Holanda, Bruno Bruins, escreveu ao parlamento holandês para indicar que uma corrida de F1 traria valor econômico "considerável" e beneficiaria empresas.

No entanto, ele disse: "a questão é se isso justifica o uso de recursos fiscais do governo nacional”.

"O governo é da opinião de que este não é o caso."

Bruins explicou uma combinação de circunstâncias específicas em torno de uma corrida de F1, a política esportiva do próprio governo e o fato de que este seria um evento anual.

Primeiro, Bruins disse que uma contribuição do governo "não é necessária e nem justificada" porque os direitos da F1 estão "nas mãos de uma empresa listada nos Estados Unidos", e outros eventos comerciais são organizados sem o apoio do Estado.

Ele acrescentou que daria oportunidades para empresas nacionais contribuírem financeiramente e verem um retorno sobre seus investimentos, ajudados por uma alta venda de ingressos.

Em segundo lugar, Bruins afirmou que uma corrida de Fórmula 1 não estaria "suficientemente alinhada com a política esportiva desta administração", que inclui promover esportes e exercícios físicos e melhorar as habilidades motoras das crianças.

Por fim, ele entende que a corrida como um evento anual não se enquadra nas condições para o financiamento de eventos em 2019 e 2020, uma vez que essa estrutura permite que 10 milhões de euros sejam disponibilizados anualmente para eventos pontuais.

Caso Zandvoort falhe na sua tentativa de organizar um GP em maio de 2020, a pista de Assen afirma ter financiamento local. Ambos os circuitos foram visitados pelo diretor de prova da FIA, Charlie Whiting, no ano passado, e exigem mudanças mínimas para atender ao padrão necessário para a F1.

O custo para fazer quaisquer ajustes seria um adicional aos 20 milhões de euros necessários para ganhar um lugar no calendário da F1, além do investimento necessário para organizar o evento.

Zandvoort indicou que não estava totalmente insatisfeita com a carta de Bruins, dizendo que ele estaria "preparado para apoiar o evento através de garantias de modelo".

O diretor do circuito, Robert van Overdijk, acrescentou: "como gestores dos circuitos, nós, juntamente com nossos colegas iniciadores TIG e SportVibes [promotores nomeados], nos sentimos apoiados pelo fato de que o ministro saúda nossa iniciativa”.

"Vamos levar em conta a mensagem do ministro em nossas discussões com a FOM e enquanto isso continuaremos trabalhando muito para que esse evento único aconteça."

Carlos Sainz Jr. Renault F1 Team

Carlos Sainz Jr. Renault F1 Team

Photo by: TCR media

Next article
Alfa Romeo tira Sauber de nome oficial do chassi

Previous article

Alfa Romeo tira Sauber de nome oficial do chassi

Next article

Red Bull crê em bons progressos da Honda no inverno e volta a atacar Renault

Red Bull crê em bons progressos da Honda no inverno e volta a atacar Renault
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Scott Mitchell