GP do Canadá terá zonas de ativação do DRS mais curtas

FIA decide retornar à configuração com duas zonas de asa móvel para o circuito, mas elas serão menores que em 2011

Pelo terceiro ano seguido, a FIA determinou uma nova mudança na configuração das zonas de abertura da asa traseira móvel no circuito Gilles Villeneuve. A exemplo do que ocorreu dois anos atrás, serão duas zonas de DRS. Porém, elas serão de menor extensão do que naquela temporada, quando houve reclamações devido à grande facilidade de ultrapassagens.

Ano passado, a entidade havia decidido usar apenas uma zona de ativação, na reta anterior à chicane do muro dos campeões. Agora, a ativação da asa móvel volta a ser permitida também na reta dos boxes volta.

A exemplo de 2011, haverá apenas um ponto de detecção, 110m após a curva 9. Assim, o piloto que estiver a menos de um segundo do adversário durante a corrida neste ponto poderá usar o DRS nas duas zonas de ativação, mesmo que não mantiver essa distância ao chegar na segunda delas.

O primeiro ponto para a ativação da asa móvel será 55 m depois da curva 12, e o segundo 70 m após a curva 14. Em 2011, eles estavam a 168m e a 71m das referidas curvas.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Canadá
Tipo de artigo Últimas notícias